Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

Chanceler russo diz por que EUA não atacarão Coreia do Norte

De acordo com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, os EUA não irão atacar a Coreia no Norte por não terem dúvidas que Pyongyang possui realmente armas nucleares.


Sputnik

Isso foi referido pelo chanceler russo durante uma transmissão do canal russo NTV.


Parada militar em Pyongyang (foto de arquivo)
Desfile militar na Coreia do Norte © REUTERS/ KCNA

Segundo Lavrov, "os norte-americanos atacaram o Iraque exclusivamente por possuírem informações 100% confiáveis que o país já não tinha quaisquer armas de destruição em massa".

Assim, para o ministro russo, "os EUA não irão atacar a Coreia do Norte porque o país não apenas suspeita, mas tem certeza que os norte-coreanos têm bombas nucleares", e "quase todo mundo concorda" com esta análise.

Ele acrescenta também que, caso esta análise não seja compreendida pelos EUA, existe um risco que tudo fracasse e então "dezenas de milhares, ou mesmo centenas, de pessoas inocentes vão sofrer", cidadãos da Coreia do Sul, Coreia do Norte, Japão, e até da Rússia e da China podem ser afetados.

Falando sobre os caminhos possíveis para a resolução da crise coreana, o ministro frisou que é preciso agir "apenas com carinho, convencimento e persuasão".

Anteriormente, o ministro de Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong-ho, em seu discurso no quadro da Assembleia Geral da ONU, ameaçou os EUA com um ataque nuclear em resposta aos insultos ao líder norte-coreano, Kim Jong-un. Ele também chamou Trump de "pessoa mentalmente perturbada sofrendo de megalomania". Por sua vez, Trump afirmou que "se ele ecoa os pensamentos do pequeno homem-foguete [apelido dado por Trump a Kim Jong-un], eles não existirão aqui por muito mais tempo".

Postar um comentário

Postagens mais visitadas