Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Coreia do Norte ameaça derrubar aeronaves dos EUA que invadam seu espaço aéreo

Seis dias após bombardeiros B-1B dos Estados Unidos sobrevoarem a fronteira entre as duas Coreias, Pyongyang respondeu.


Sputnik

Por meio de um editorial publicado pela agência de notícias Uriminzokkiri, a Coreia do Norte considerou o ato um episódio "imensamente perigoso e imprudente".


Kim Jong-un, líder da Coreia do Norte durante as manobras militares
Kim Jong-un © REUTERS/ KCNA

"A bravata juvenil e belicista dos Estados Unidos está alimentando a vontade de retaliação entre dezenas de milhões de nossos soldados e civis", afirma o texto. "Nossas forças armadas foram altamente motivadas para derrubar os vôos dos EUA que procurem invadir nossos céus".

De acordo com o Pentágono, o voo dos bombardeiros teve como objetivo mostrar que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, "tem muitas opções militares para vencer qualquer ameaça". "Esta é uma demonstração da vontade dos EUA", disse Dana White, porta-voz do Pentágono.

Segundo o jornal Korean Times, neste ano os bombardeiros estadunidenses sobrevoaram a península da Coreia por 19 vezes — mas sempre em exercícios conjuntos com a Coreia do Sul. O mais recente voo dos bombardeiros B-1B, todavia, foi realizado de maneira unilateral.

Ainda assim, informa o Korean Times, o presidente sul-coreano Moon Jae-in teria sido avisado e consentido com a missão.


Postar um comentário