Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia adverte exército sírio contra entrada em Manbij

O comunicado foi divulgado poucos dias depois de pelo menos quatro soldados americanos terem sido mortos em um atentado suicida na cidade de Manbij, no norte da Síria, cuja responsabilidade foi assumida pelo Daesh (grupo terrorista proibido em Rússia e em vários outros países).
Sputnik

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores turco, Hami Aksoy, alertou as Forças Armadas do governo sírio para que não tentassem entrar na cidade de Manbij, localizada no norte da Síria.


"Às Unidades de Proteção Popular curdas na Síria (YPG) não deveria ser permitido deixar que as forças do regime [do presidente sírio Bashar Assad] entrem em Manbij", disse Aksoy em uma entrevista coletiva na sexta-feira (18). Ele também destacou que "a retirada das tropas norte-americanas da Síria não deveria ajudar os terroristas das YPG e do Partido de União Democrática curdo (PYD)".

As declarações foram feitas depois que nesta quarta-feira (16) na cidade síria de Manbij ocorreu uma explosão em u…

Coreia do Norte ameaça derrubar aeronaves dos EUA que invadam seu espaço aéreo

Seis dias após bombardeiros B-1B dos Estados Unidos sobrevoarem a fronteira entre as duas Coreias, Pyongyang respondeu.


Sputnik

Por meio de um editorial publicado pela agência de notícias Uriminzokkiri, a Coreia do Norte considerou o ato um episódio "imensamente perigoso e imprudente".


Kim Jong-un, líder da Coreia do Norte durante as manobras militares
Kim Jong-un © REUTERS/ KCNA

"A bravata juvenil e belicista dos Estados Unidos está alimentando a vontade de retaliação entre dezenas de milhões de nossos soldados e civis", afirma o texto. "Nossas forças armadas foram altamente motivadas para derrubar os vôos dos EUA que procurem invadir nossos céus".

De acordo com o Pentágono, o voo dos bombardeiros teve como objetivo mostrar que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, "tem muitas opções militares para vencer qualquer ameaça". "Esta é uma demonstração da vontade dos EUA", disse Dana White, porta-voz do Pentágono.

Segundo o jornal Korean Times, neste ano os bombardeiros estadunidenses sobrevoaram a península da Coreia por 19 vezes — mas sempre em exercícios conjuntos com a Coreia do Sul. O mais recente voo dos bombardeiros B-1B, todavia, foi realizado de maneira unilateral.

Ainda assim, informa o Korean Times, o presidente sul-coreano Moon Jae-in teria sido avisado e consentido com a missão.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas