Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Coreia do Sul mostra suas armas mais potentes no Dia das Forças Armadas (VÍDEO)

A cerimônia, que foi acompanhada pelo presidente sul-coreano Moon Jae-in, envolveu a participação de 3,7 mil pessoas e foi transmitida pela televisão.


Sputnik

Na quinta (28) a Coreia do Sul mostrou seus sistemas de artilharia, incluindo os novos mísseis balísticos, durante o Dia das Forças Armadas, reporta a Yonhap.


Sistema de mísseis americano ATACMS adquirido pelas Forças Armadas da Coreia do Sul
Sistema de mísseis norte-americanos ATACMS da Coreia do Sul © AFP 2017/ KIM JAE-HWAN

Entre as armas apresentadas na cerimônia estavam os mísseis balísticos Hyunmoo-2 e os mísseis de cruzeiro Hyonmoo-3. Estes sistemas são elementos-chave da plataforma de defesa de "três eixos" da Coreia do Sul: o Sistema de Ataque Preventivo Cadeia de Matar, a Defesa Aérea e Antimíssil da Coreia (KAMD, em inglês) e o Esquema de Punição e Retaliações Massivas da Coreia (KMPR, em inglês).

Foram ainda mostrados o Sistema de Mísseis Táticos do Exército (ATACMS) e a arma guiada antitanque Hyungung, os mísseis de defesa aérea Patriot PAC-II e os mísseis terra-ar M-SAM, Taurus e Slam-er.

A cerimônia envolveu a participação de mais de 3,7 mil pessoas e foi transmitida ao vivo por um canal de televisão nacional.

De acordo com a agência de notícias, o presidente sul-coreano Moon Jae-in inspecionou os armamentos e as tropas na cidade de Pyeongtaek, a 70 quilômetros a sul de Seul, na sede da Segunda Frota da Marinha. A unidade é responsável pela defesa das águas ocidentais a sul da Linha de Limite Norte (NLL), que é de fato a fronteira marítima entre as duas Coreias.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas