Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Kim Jong-un: Após 'declaração de guerra feroz', Trump e os EUA pagarão caro

Em um raro pronunciamento, o líder norte-coreano Kim Jong-un disse nesta sexta-feira (horário local) que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu povo "pagarão caro"pelas “palavras excêntricas” que pregaram a destruição da Coreia do Norte.
Sputnik

Em seu discurso na Assembleia Geral da ONU, Trump afirmou que os EUA estão prontos para a "destruição total" da Coreia do Norte, caso isso se faça necessário.


Além disso, o presidente estadunidense chamou Kim de "Homem Foguete", pelo que considera uma "tática suicida" de provocações contra Washington e o resto dos seus aliados na Ásia.

"Agora estou pensando muito sobre a resposta que ele poderia ter esperado quando ele se permitiu que palavras tão excêntricas tropeçassem da sua língua", disse Kim, em declarações reproduzidas pela Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA).

"Qualquer coisa que Trump possa ter esperado, ele enfrentará resultados além de suas expectativas. Eu vou, …

Daesh e Al-Qaeda podem formar uma aliança

O coordenador da União Europeia para o combate ao terrorismo, Gilles de Kerchove, revelou as causas de uma possível aliança entre os grupos terroristas Daesh e Al-Qaeda.


Sputnik

"É muito provável que o Daesh e a Al-Qaeda se juntem novamente e talvez até realizem ações em conjunto", declarou Kerchove ao jornal Welt am Sonntag.


Daesh fighter
Terrorista do Daesh (Estado Islâmico) © Foto: VOA

Ele destacou que os motivos, que provocaram o racha entre esses grupos terroristas, perderam a sua importância para os militantes.

"O primeiro motivo era a inimizade pessoal entre o líder do Daesh, Abu Bakr al-Baghdadi, supostamente morto, e o líder da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri. O último está muito velho e, possivelmente, não desempenha um papel importante [na organização]", disse Kerchove.

Segundo o europeu, outro ponto de conflito entre os grupos era o prazo para a formação do "califado".

Kerchove explicou que para Al-Qaeda o "califado" era um projeto de longo prazo. O Daesh, por outro lado, pretendia construir o seu "Estado" em tempo mais breve possível.

Além disso, o interlocutor do Welt am Sonntag revelou que o filho de Osama bin Laden, Hamza bin Laden está se tornando cada vez mais importante na Al-Qaeda. "Sua retórica em relação ao Daesh é muito menos agressiva e, provavelmente, o seu objetivo consiste na reaproximação das duas organizações", concluiu o político.


Postar um comentário