Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Descubra todos os segredos do 'assassino russo de aviões furtivos' (VÍDEO)

O caça russo Su-35 foi batizado de "Showstopper", já que "rouba a cena" durante todas as feiras de aviação. O canal russo Zvezda publicou em sua conta do YouTube um vídeo no qual revela todos os segredos do "assassino russo de aviões furtivos".


Sputnik

Este caça é uma versão modernizada do Su-27. Tendo como base a mesma célula, este avião está equipado com motores mais inovadores e sistemas de gestão e controle de bordo, bem como radares, mais avançados. Diferentemente de seu antecessor, este temível avião tem um chassi de duas rodas.


Caça Su-35 durante espectáculo aéreo no Día de Forças Aéreas da Rússia (foto de arquivo)
Caça russo Sukhoi Su-35 © Sputnik/ Artyom Zhitenev

É capaz detectar um objetivo a distância de até 400 quilômetros.

O Su-35 conta com o sistema inovador de radar Irbis que pode controlar até 30 alvos, inclusive helicópteros a baixa altitude e mísseis de cruzeiro, ou atacar até oito alvos ao mesmo tempo.

Contudo, por que ele é denominado de "caça de geração 4++"?

É que, por suas características, este avião é muito parecido aos caças da quinta geração. A única diferença é que este não possui tecnologias "stealth" (furtivas) por utilizar o radar para realizar o lançamento de mísseis e assim não pode permanecer invisível o tempo todo.

Em 2008, na base norte-americana de Hickam, situada no Havaí, uma equipe militar internacional realizou um teste de combate entre um F-35 norte-americano e um Su-35 russo. Como resultado, o deputado australiano Dennis Jensen afirmou que "o F-35 foi atingido impiedosamente pelo caça russo Su-35".

Além disso, o avião russo tem um preço muito mais baixo do que seu análogo norte-americano, o que também se aplica ao custo do treinamento dos pilotos e à manutenção da aeronave. Esta é a principal razão que explica por que o avião russo gera grande interesse por parte dos clientes estrangeiros.

O Su-35 é um caça pesado, já que tem uma carga de oito toneladas e um alcance que atinge até 4.500 quilômetros. Este avião avançado já participou de várias operações antiterroristas na Síria. No total, mais de 60 aviões deste tipo fazem parte da Força Aeroespacial da Rússia.



Postar um comentário