Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Donald Trump e presidente sul-coreano querem mais pressão sobre Pyongyang

O presidente americano e Moon Jae-In falaram ao telefone e condenaram profundamente o mais recente disparo de míssil feito pela Coreia do Norte.


France Presse


O presidente americano, Donald Trump, e seu colega sul-coreano, Moon Jae-In, comprometeram-se a exercer "uma maior pressão" sobre Pyongyang - anunciou Seul neste domingo (17).

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, ao lado de Donald Trump em visita aos EUA no fim de junho (Foto: Reuters/Carlos Barria)
O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, ao lado de Donald Trump em visita aos EUA no fim de junho (Foto: Reuters/Carlos Barria)

Em conversa por telefone, Moon e Trump "condenaram profundamente" o mais recente disparo de míssil feito na sexta-feira (15) pela Coreia do Norte.

"Ambos os dirigentes concordaram em exercer uma maior pressão e mais concreta para que o regime norte-coreano entenda que mais provocações vão conseguir apenas reforçar o isolamento diplomático e as pressões econômicas que levarão a seu colapso", declarou a Presidência sul-coreana em um comunicado.

Na última segunda-feira (11), o Conselho de Segurança da ONU adotou por unanimidade uma nova resolução de sanções para obrigar a Coreia do Norte a renunciar a seus programas balístico e nuclear.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas