Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

EUA e a Coreia do Sul realizam exercícios de defesa antiaérea

Nesse sábado (30), o Comando do Pacífico dos Estados Unidos divulgou um comunicado no qual informou que Washington e Seul realizaram os primeiros exercícios conjuntos de defesa antiaérea de proximidade na península da Coreia.


Sputnik

As manobras envolveram militares do 6º batalhão do 52º regimento de defesa antiaérea do exército norte-americano e militares sul-coreanos. A data das manobras realizadas e o número do contingente de pessoal não foram divulgados.


Soldados sul-coreanos e norte-americanos durante exercícios conjuntos, Coreia do Sul (foto de arquivo)
Militares sul-coreanos e norte-americanos em exercício militar © AFP 2017/ JUNG YEON-JE

De acordo com o comunicado, durante os treinamentos os militares dos dois países conheceram os sistemas e meios dos exércitos um do outro com o objetivo de "em resultado estabelecer uma parceria sólida".

As manobras dos EUA e da Coreia do Sul foram realizadas em meio à ameaça de um conflito militar na península de Coreia devido à grave confrontação entre os EUA e a Coreia do Norte. Pyongyang realiza testes de mísseis balísticos e cargas nucleares, avisando que pode realizar um ataque preventivo contra os EUA. Por sua vez, o presidente norte-americano Donald Trump adverte a Coreia do Norte sobre uso da força em resposta às suas ações.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas