Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

EUA publicam manual com instruções como derrotar Rússia em uma guerra híbrida

O exército norte-americano publicou um manual com instruções para conter a estratégia russa em uma guerra híbrida, informa o The National Interest.


Sputnik

O "Manual de Guerra com a Rússia da Nova Geração", publicado em 2016 e recentemente divulgado para o público através da Internet, examina a tática militar da Rússia em uma guerra híbrida e os métodos através dos quais os EUA podem contê-la.


Soldados dos EUA participam das manobras Iron Wolf 2016, Lituânia
Soldados dos EUA em exercício na Lituânia © AP Photo/ Mindaugas Kulbis

O manual é uma publicação de 69 páginas com fotos e informação útil sobre o equipamento russo que pode ser utilizado durante as operações em uma guerra híbrida na Ucrânia ou na Crimeia, envolvendo a participação de tropas especiais e de pequenas formações armadas das tropas regulares russas, informa o colunista do The National Interest Michael Peck.

O manual aponta que a Rússia adotou a abordagem norte-americana de utilizar sistemas tripulados e não tripulados de sensores para detectar as forças do inimigo, que depois podem ser eliminadas pela artilharia ou aviação.

"As forças russas criaram o conceito e aplicaram-no na sua doutrina. O conceito russo consiste da capacidade de realizar ataques devastadores e indiretos, contendo o inimigo e protegendo as próprias forças com a utilização de ADA [artilharia de defesa aérea] e os meios de guerra eletrônica EW", indicam os militares norte-americanos.

O manual acrescenta ainda vários pontos fracos da Rússia. De acordo com a publicação, se trata da falta de motivação dos soldados, da estereotipada liderança tática, da logística fraca e do rígido apoio de artilharia.

O manual recomenda ao exército norte-americano que treine em condições que incluam a utilização de meios de guerra eletrônica.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas