Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha e Aeronáutica do Brasil auxiliam buscas a submarino argentino desaparecido, diz ministro

Segundo Raul Jungmann, três navios e um avião brasileiros já foram disponibilizados. Última vez que o submarino militar com 44 pessoas a bordo manteve contato com a base foi na quarta-feira (15).
Por G1, Brasília

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, publicou em seu perfil no Twitter neste sábado (18) que três navios da Marinha brasileira "já estão auxiliando" nas buscas a um submarino argentino que desapareceu com 44 tripulantes a bordo.

Ainda segundo o ministro, a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou um avião para também ajudar na procura pelo submarino e um segundo avião "será deslocado para apoiar as buscas do submarino argentino desaparecido" a partir deste domingo (19).

O submarino militar ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15), quando estava no sul do Mar Argentino, a 432 quilômetros da costa patagônica do país.

De acordo com a FAB, o primeiro avião disponibilizado pelo Brasil decolou, com 18 tripulantes, às 17…

Exército da Síria informa sobre 2 mortos e danos materiais após ataque aéreo israelense

O Exército da Síria informou sobre duas baixas mortais na sequência de um ataque aéreo israelense contra suas posições na zona de Masyaf.


Sputnik

O bombardeamento, que foi realizado às 2h42 desta quinta-feira (7) (23h42 de 6 de setembro GMT, 20h42 horário de Brasília) "causou dois mortos e danos materiais", cita a agência SANA o Comando Geral do exército.


Caça F-15 da Força Aérea de Israel
F-16 da Força Aérea de Israel © AP Photo/ JACK GUEZ

Segundo o comunicado, a aviação israelense disparou vários mísseis a partir do espaço aéreo do Líbano.

Os caças israelenses atingiram uma instalação militar e causaram danos extensos. Anteriormente, a agência SANA havia informado que aviões israelenses tinham bombardeado um centro de investigação supostamente relacionado com o programa de armas químicas.

A notícia do ataque apareceu um dia após uma comissão independente da ONU que investiga crimes e violações dos direitos humanos na Síria ter acusado Damasco do uso de armas químicas, nomeadamente, de gás sarin em Khan Shaykhun em 4 de abril deste ano.

Há muito tempo que Israel se manifesta contra a presença do Irã na Síria. Recentemente, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, reiterou as preocupações de Tel Aviv, afirmando que Teerã está alegadamente tentando aumentar sua presença na Síria.

O Irã e seus aliados, incluindo o movimento xiita libanês Hezbollah, apoiam o governo do presidente Bashar Assad no conflito atual na Síria, combatendo ao lado do exército sírio. Israel, por sua vez, considera o Irã seu principal inimigo, indicando suas capacidades nucleares, discurso hostil e apoio a forças opositoras a Israel no Oriente Médio.


Postar um comentário