Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Tecnologia stealth brasileira

Conheça o tecnológico processo de pintura desenvolvido pela IAE (Instituto de Aeronáutica e Espaço), que possibilita reduzir drasticamente a visibilidade de equipamentos militares aos radares inimigos.
Global Militar


Exército faz operação com 500 homens para recuperar pistola roubada de militar no Rio

Ação ocorreu na Favela do Muquiço, em Guadalupe. Até crianças foram revistadas. Arma foi devolvida ao comando e ninguém foi preso.


Por Bom Dia Rio


Em meio ao impasse quanto a não utilização das Forças Armadas para combater a violência no Rio, como no caso da invasão à Rocinha no fim de semana, mais de 500 homens do Exército fizeram uma grande operação na favela do Muquiço, em Guadalupe, na Zona Norte. A ação, no entanto, não foi para combater diretamente a criminalidade, mas para recuperar uma pistola que havia sido roubada de um militar.

Resultado de imagem para Exército faz operação com 500 homens para recuperar pistola roubada de militar no Rio
Blindado Guarani | Reprodução

A operação do Exército começou pela manhã na favela do Muquiço. Vários blindados e dezenas de carros com soldados armados de fuzis entraram na comunidade e também se concentraram no entorno da favela, perto da Vila Militar.

Na internet, aparecem fotos dos militares nas ruas do Muquiço revistando moradores, inclusive uma criança.

No fim da tarde, a maior parte do comboio já havia voltado para a Vila Militar, mas em um dos acessos à comunidade alguns soldados permaneciam por lá. Questionado, o Comando Militar do Leste informou que foram usados 500 homens nessa operação e que a explicação para toda essa movimentação de blindados e centenas de soldados é o roubo de uma pistola.

Em nota, o Exército informou que a arma foi roubada de um militar. Segundo o comando, a operação foi suspensa no fim da tarde porque os bandidos entregaram a pistola a líderes comunitários, que a devolveram ao Exército. Ninguém foi preso.

Por conta da operação militar, 380 alunos ficaram sem aulas na comunidade.

O Comando Militar do Leste informou que as revistas respeitaram as normas de conduta e boa educação.

Postar um comentário