Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Extremo Oriente russo tem plano próprio caso situação na Coreia do Norte se agrave

O governador da região de Primorie (Extremo Oriente da Rússia), Vladimir Miklushevsky, declarou que a região possui planos de segurança dos cidadãos em caso de agravamento da situação na Península da Coreia.


Sputnik

"Tais planos existem, mas eles são de caráter confidencial. São planos gerais para todas as ameaças – não só para as ameaças principais", comunicou Miklushevsky durante a coletiva de imprensa no Fórum Econômico Oriental (VEF), respondendo a uma questão sobre os planos de ação da região em caso de agravamento da situação na Coreia do Norte. 


Bandeira da Coreia do Norte na zona desmilitarizada
Zona desmilitarizada entre as coreias do norte e sul © AFP 2017/ SAUL LOEB

Em 3 de setembro Pyongyang anunciou ter realizado um teste bem-sucedido de uma bomba de hidrogênio.

A comunidade internacional ficou dividida: o Japão, a Coreia do Sul e os EUA buscam respostas, inclusive militares; a Rússia e a China continuam assegurando que o diálogo é a única solução para a crise.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas