Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil abre processo administrativo para apurar vídeo de militares dançando 'Jenifer' em navio

Em nota, a Marinha informou que e 'foi constatado comportamento completamente incompatível com as tradições' e que irá apurar o ocorrido.
Por G1 Rio

A Marinha do Brasil instaurou um processo administrativo para apurar um vídeo em que um grupo de militares aparece dançando a música "Jenifer" em um navio oficial.


A embarcação, segundo a Marinha, é o Aviso de Instrução Guarda-Marinha Brito, que fica sediado no Rio de Janeiro. A gravação foi feita durante o estágio de mar de militares.

Em nota, a Marinha informou que "foi constatado comportamento completamente incompatível com as tradições da Marinha" e que, para ampliar a apuração do ocorrido, foi instaurado um procedimento administrativo "cuja conclusão, certamente, conterá as propostas pertinentes às necessárias correções no inaceitável comportamento".

Assista o vídeo

Força Aeroespacial russa realiza 10 ataques aéreos contra terroristas na Síria

O porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov, informou que a Força Aeroespacial russa realizou, nas últimas 24 horas, 10 ataques aéreos contra posições do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia) na província síria de Idlib, todas localizadas longe das povoações.


Sputnik

Em 25 de setembro, com base em dados de inteligência recolhidos por veículos não tripulados e por outras vias, a Força Aeroespacial russa realizou 10 ataques contra posições do Daesh na província de Idlib, informou o porta-voz.


Força Aeroespacial russa na Síria
Sukhoi Su-30 da Força Aérea da Rússia © Sputnik/ Maksim Blinov

Konashenkov sublinhou que todos os ataques foram lançados longe das povoações e que há dados de controlo objetivo que o comprovam. Foram eliminados abrigos subterrâneos, material bélico e locais de armazenamento de munições dos terroristas.

O porta-voz do Ministério da Defesa russo desmentiu as informações do Observatório Sírio dos Direitos Humanos, sedeado em Londres, de que a Força Aeroespacial russa teria atacado povoações na Síria.

Ele também acrescentou que “as declarações do Observatório relativamente às testemunhas ou voluntários anônimos são infundadas e servem como 'encobrimento informacional' das ações da Frente al-Nusra [organização terrorista proibida na Rússia] e de outros grupos terroristas ligados a ela”.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas