Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China tira mais um 'trunfo' aos EUA criando catapultas eletromagnéticas para porta-aviões

A China desenvolveu sua própria catapulta eletromagnética para os porta-aviões, sendo que anteriormente os EUA eram o único país que usava esse tipo de equipamento. Fazendo isso, o país asiático tem como objetivo melhorar a capacidade de combate dos seus grupos aeronavais.
Sputnik

Engenheiros chineses testaram o protótipo da catapulta eletromagnética de fabricação nacional com aviões de combate J-15, afirmou o contra-almirante chinês Yin Zhuo à edição China Daily. O alto responsável militar especificou que os aviões efetuaram "milhares de decolagens" usando a catapulta.


As catapultas dos porta-aviões são utilizadas para dar um impulso extra à aeronave (o que não é necessário se a aeronave decola do chão), devido à pequena pista de aterrissagem dos porta-aviões. Anteriormente, esse impulso era produzido por vapor.

O dispositivo eletromagnético usa um cabo de aço que liga o avião à catapulta e o faz decolar. De acordo com a mídia, o uso da catapulta foi conseguido devido ao sucess…

Forças Aéreas dos EUA e Coreia do Sul realizam exercícios conjuntos

Quatro caças F-15K da Força Aérea da Coreia do Sul, dois bombardeiros estratégicos B-1B e quatro caças F-35B da Força Aérea dos EUA realizaram manobras conjuntas na segunda-feira (18).


Sputnik

Segundo o documento, publicado no site do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, os exercícios visam reforçar a prontidão e coordenação das ações das forças armadas dos dois países, bem como treinar posicionamento rápido das tropas em caso de provocação do inimigo.


As manobras militares conjutas dos EUA e a Coreia do Sul
© REUTERS/ Lance Cpl. Carlos Jimenez

Os exercícios das Forças Aéreas dos EUA e da Coreia do Sul foram realizados poucos dias depois do último lançamento de míssil balístico pela Coreia do Norte em direção ao Japão. O míssil caiu no oceano Pacífico, mais precisamente a dois mil quilômetros da ilha japonesa de Hokkaido.

Mais cedo, o Conselho de Segurança da ONU adotou uma nova resolução com sanções econômicas mais duras contra Pyongyang devido ao teste de uma bomba de hidrogênio, que foi posto em ação em 3 de setembro.

Entretanto, o jornal central norte-coreano Rodong Sinmun declarou que nenhuma pressão fez com que Pyongyang se recusasse a desenvolver armas nucleares e mísseis balísticos devido à hostilidade por parte de Washington.


Postar um comentário