Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

Forças Aéreas dos EUA e Coreia do Sul realizam exercícios conjuntos

Quatro caças F-15K da Força Aérea da Coreia do Sul, dois bombardeiros estratégicos B-1B e quatro caças F-35B da Força Aérea dos EUA realizaram manobras conjuntas na segunda-feira (18).


Sputnik

Segundo o documento, publicado no site do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, os exercícios visam reforçar a prontidão e coordenação das ações das forças armadas dos dois países, bem como treinar posicionamento rápido das tropas em caso de provocação do inimigo.


As manobras militares conjutas dos EUA e a Coreia do Sul
© REUTERS/ Lance Cpl. Carlos Jimenez

Os exercícios das Forças Aéreas dos EUA e da Coreia do Sul foram realizados poucos dias depois do último lançamento de míssil balístico pela Coreia do Norte em direção ao Japão. O míssil caiu no oceano Pacífico, mais precisamente a dois mil quilômetros da ilha japonesa de Hokkaido.

Mais cedo, o Conselho de Segurança da ONU adotou uma nova resolução com sanções econômicas mais duras contra Pyongyang devido ao teste de uma bomba de hidrogênio, que foi posto em ação em 3 de setembro.

Entretanto, o jornal central norte-coreano Rodong Sinmun declarou que nenhuma pressão fez com que Pyongyang se recusasse a desenvolver armas nucleares e mísseis balísticos devido à hostilidade por parte de Washington.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas