Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Vários mortos no confronto entres as forças de Maduro e rebeldes armados

Desfecho sangrento aconteceu durante a operação de captura de Óscar Pérez, que está entre os mortos.O piloto sobrevoou prédios do governo com um helicóptero roubado da polícia em junho do ano passado
Maolis Castro e Florantonia Singer | El País

Vários integrantes do grupo liderado pelo ex-policial Óscar Pérez morreram em um confronto com um coletivo – civis armados chavistas – e um comando da Força de Ações Especiais da Polícia Nacional, em que também morreram dois agentes e um militante chavista. Outros cinco membros do grupo foram presos em uma casa na região de El Junquito, no oeste de Caracas. 

O Governo venezuelano confirmou no início desta tarde que o próprio Pérez está entre os mortos. Seu nome se tornou conhecido em junho, quando roubou um helicóptero da polícia e sobrevoou a sede do Supremo Tribunal de Justiça e do Ministério do Interior. Nunca, em 18 anos de chavismo, ocorreu algo parecido na Venezuela.


O ex-inspetor do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalística…

Forças Aéreas dos EUA e Coreia do Sul realizam exercícios conjuntos

Quatro caças F-15K da Força Aérea da Coreia do Sul, dois bombardeiros estratégicos B-1B e quatro caças F-35B da Força Aérea dos EUA realizaram manobras conjuntas na segunda-feira (18).


Sputnik

Segundo o documento, publicado no site do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, os exercícios visam reforçar a prontidão e coordenação das ações das forças armadas dos dois países, bem como treinar posicionamento rápido das tropas em caso de provocação do inimigo.


As manobras militares conjutas dos EUA e a Coreia do Sul
© REUTERS/ Lance Cpl. Carlos Jimenez

Os exercícios das Forças Aéreas dos EUA e da Coreia do Sul foram realizados poucos dias depois do último lançamento de míssil balístico pela Coreia do Norte em direção ao Japão. O míssil caiu no oceano Pacífico, mais precisamente a dois mil quilômetros da ilha japonesa de Hokkaido.

Mais cedo, o Conselho de Segurança da ONU adotou uma nova resolução com sanções econômicas mais duras contra Pyongyang devido ao teste de uma bomba de hidrogênio, que foi posto em ação em 3 de setembro.

Entretanto, o jornal central norte-coreano Rodong Sinmun declarou que nenhuma pressão fez com que Pyongyang se recusasse a desenvolver armas nucleares e mísseis balísticos devido à hostilidade por parte de Washington.


Postar um comentário