Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Graças às ações da Rússia na Síria foi libertado um território de 78 mil km quadrados

Graças às ações dos militares russos na Síria foi libertado um território de 78 mil quilômetros quadrados, afirma o Estado-Maior General da Rússia.


Sputnik

Nesta sexta-feira (25), o chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, Sergei Rudskoy, comunicou que, graças às ações dos militares russos na Síria, foi libertada uma área de 78 mil quilômetros quadrados, incluindo os territórios da província de Latakia e as cidade de Aleppo e Palmira.


Ataques da Força Aeroespacial da Rússia contra as posições do Daesh perto da cidade de Deir ez-Zor (foto de arquivo)
Ataque da Força Aérea da Rússia contra o Daesh em Deir ez-Zor © Sputnik/ Mikhail Voskresensky

"Na sequência das operações realizadas pelas Forças Armadas da Rússia, o território controlado pelas tropas governamentais quadruplicou, de 19 mil quilômetros quadrados [em setembro de 2015] para 78 mil", afirmou Rudskoy.

Atualmente os esforços principais das tropas governamentais e do grupo das Forças Armadas da Rússia estão focados na derrota do último baluarte do Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia) na região de Deir ez-Zor.

Enquanto isso, o coronel-general Igor Korobov, chefe da Direção Principal do Estado-Maior General das Forças Armadas da Rússia, frisou que o número de militantes do Daesh na Síria, que atualmente estão concentrados principalmente da área central do país, supera os 9 mil.

Ele acrescentou também que na Síria estão atuando mais de 15 mil terroristas da organização Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia).


Postar um comentário