Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Kim Jong-un: Após 'declaração de guerra feroz', Trump e os EUA pagarão caro

Em um raro pronunciamento, o líder norte-coreano Kim Jong-un disse nesta sexta-feira (horário local) que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu povo "pagarão caro"pelas “palavras excêntricas” que pregaram a destruição da Coreia do Norte.
Sputnik

Em seu discurso na Assembleia Geral da ONU, Trump afirmou que os EUA estão prontos para a "destruição total" da Coreia do Norte, caso isso se faça necessário.


Além disso, o presidente estadunidense chamou Kim de "Homem Foguete", pelo que considera uma "tática suicida" de provocações contra Washington e o resto dos seus aliados na Ásia.

"Agora estou pensando muito sobre a resposta que ele poderia ter esperado quando ele se permitiu que palavras tão excêntricas tropeçassem da sua língua", disse Kim, em declarações reproduzidas pela Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA).

"Qualquer coisa que Trump possa ter esperado, ele enfrentará resultados além de suas expectativas. Eu vou, …

Israel apoia aspiração dos curdos de terem Estado próprio

Israel anunciou que apoia as aspirações dos curdos de criarem seu próprio Estado nas vésperas do próximo referendo sobre a independência, convocado no Curdistão iraquiano.


Sputnik

A declaração do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu distanciou-se da reação negativa de vários outros países quanto à decisão dos curdos iraquianos, que planejam pôr a questão a votação em 25 de setembro.


Preparativos para o referendo sobre a independência no Curdistão iraquiano
Preparativos para o referendo sobre a independência do Curdistão iraquiano © REUTERS/ Azad Lashkari

"[Israel] apoia os esforços legítimos do povo curdo de adquirir um Estado próprio", lê-se no documento.

O texto especifica que Israel se opõe às ações do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) na Turquia, proibido neste país e considerado por Ancara como organização terrorista.

As autoridades do Curdistão iraquiano anunciaram no início de junho a decisão de realizar um referendo sobre a sua independência em 25 de setembro de 2017, um passo que foi criticado tanto por Bagdá quanto a nível internacional, principalmente pelos EUA, Turquia e Irã.


Postar um comentário