Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: presidente ucraniano mata sua indústria ao introduzir novas sanções contra Rússia

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, assinou um decreto sobre as sanções contra a Rússia adotadas pelo Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia. O especialista Eduard Popov falou com a Sputnik e indicou qual o principal objetivo perseguido pelo governo ucraniano com tal iniciativa.
Sputnik

Em 2 de maio, o Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia ampliou as medidas restritivas em relação a diversas pessoas físicas e jurídicas russas, bem como prolongou a vigência das sanções introduzidas anteriormente.

Segundo informou a assessoria de imprensa da entidade, as sanções são aplicadas a pessoas "relacionadas com a agressão no ciberespaço e no campo informacional" contra a Ucrânia, "ações criminosas" contra os cidadãos ucranianos detidos na Rússia, bem como aos deputados da Duma de Estado e do Conselho da Federação da Rússia.

O diretor do Centro de Cooperação Pública e Informativa "Europa", Eduardo Popov, disse ao serviço russo da Rádio Sp…

Israel apoia aspiração dos curdos de terem Estado próprio

Israel anunciou que apoia as aspirações dos curdos de criarem seu próprio Estado nas vésperas do próximo referendo sobre a independência, convocado no Curdistão iraquiano.


Sputnik

A declaração do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu distanciou-se da reação negativa de vários outros países quanto à decisão dos curdos iraquianos, que planejam pôr a questão a votação em 25 de setembro.


Preparativos para o referendo sobre a independência no Curdistão iraquiano
Preparativos para o referendo sobre a independência do Curdistão iraquiano © REUTERS/ Azad Lashkari

"[Israel] apoia os esforços legítimos do povo curdo de adquirir um Estado próprio", lê-se no documento.

O texto especifica que Israel se opõe às ações do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) na Turquia, proibido neste país e considerado por Ancara como organização terrorista.

As autoridades do Curdistão iraquiano anunciaram no início de junho a decisão de realizar um referendo sobre a sua independência em 25 de setembro de 2017, um passo que foi criticado tanto por Bagdá quanto a nível internacional, principalmente pelos EUA, Turquia e Irã.


Postar um comentário