Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Israel ataca suposta fábrica de armas químicas na Síria

Segundo Exército sírio, aviões lançaram mísseis a partir do espaço aéreo libanês. ONG afirma que alvos foram instalação que produz arsenal químico e campo de armazenamento de foguetes usado por Irã e Hisbolá.


Deutsch Welle

O Exército sírio denunciou nesta quinta-feira (07/09) que aeronaves israelenses lançaram mísseis que atingiram uma infraestrutura militar localizada na província central síria de Hama, matando duas pessoas. Um grupo de monitoramento afirma que o alvo pode estar ligado à produção de armas químicas.


Israel Kampfjet der Luftwaffe (Getty Images/AFP/J. Guez)
Caça israelense F-35

A agência oficial síria de notícias Sana informou que o avião "inimigo" de Israel lançou "vários mísseis" a partir do espaço aéreo libanês contra uma posição militar perto de Masiaf, a sudoeste de Hama.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, ONG sediada no Reino Unido que monitora a guerra síria, disse que o ataque foi contra uma instalação do Centro de Estudos Científicos e de Pesquisa, uma agência que os Estados Unidos classificam como fabricante de armas químicas da Síria.

O ataque ocorreu um dia após investigadores da ONU terem afirmado que o governo sírio foi responsável por um bombardeio em abril em que foi usado gás venenoso sarin. Mais de 80 pessoas morreram no ataque químico, realizado na cidade de Khan Cheikhoun. O governo da Síria nega o uso de armas químicas.

O Observatório disse que os ataques israelenses também atingiram um campo militar que era usado para armazenar foguetes terra-a-terra e onde militares do Irã e combatentes de seu aliado, o grupo xiita libanês Hisbolá, foram vistos mais de uma vez. Uma porta-voz do Exército israelense não quis se pronunciar sobre o ataque na Síria.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas