Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan: exército sírio parou de avançar para Afrin

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que as tropas do governo sírio deixaram de avançar para a cidade de Afrin "após consultas", realizadas pelo líder turco nesta segunda-feira.
Sputnik

As tropas do governo sírio "foram realmente detidas ontem (segunda-feira)", afirmou Erdogan, segundo a agência de notícias Anadolu. Segundo o chefe de Estado, isso aconteceu "após consultas". No entanto, Erdogan não especificou à que consultas estaria se referindo.


Nesta segunda-feira, o líder turco discutiu a situação em Afrin durante conversa telefônica com seus homólogos russo e iraniano, Vladimir Putin e Hassan Rouhani.

Erdogan também afirmou que as milícias pró-governo que tentaram entrar em Afrin nesta terça-feira, e que foram repelidas pelas tropas turcas, o fizeram por iniciativa própria.

"A milícia síria decidiu entrar em Afrin por conta própria. Isso é inaceitável e não ficará sem resposta", alertou Erdogan.

Anteriormente, a imprensa infor…

Kim Jong-un: Após 'declaração de guerra feroz', Trump e os EUA pagarão caro

Em um raro pronunciamento, o líder norte-coreano Kim Jong-un disse nesta sexta-feira (horário local) que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu povo "pagarão caro"pelas “palavras excêntricas” que pregaram a destruição da Coreia do Norte.


Sputnik

Em seu discurso na Assembleia Geral da ONU, Trump afirmou que os EUA estão prontos para a "destruição total" da Coreia do Norte, caso isso se faça necessário.


Kim Jong-un, durante teste com submarino da Coreia do Norte
Kim Jong-un acompanhando o teste de um submarino da Coreia do Norte | KCNA

Além disso, o presidente estadunidense chamou Kim de "Homem Foguete", pelo que considera uma "tática suicida" de provocações contra Washington e o resto dos seus aliados na Ásia.

"Agora estou pensando muito sobre a resposta que ele poderia ter esperado quando ele se permitiu que palavras tão excêntricas tropeçassem da sua língua", disse Kim, em declarações reproduzidas pela Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA).

"Qualquer coisa que Trump possa ter esperado, ele enfrentará resultados além de suas expectativas. Eu vou, certamente e definitivamente, domar o mentalmente, perturbado e tonto [presidente] dos EUA com fogo”, continuou.

No comunicado divulgado pela KCNA, Kim não deu detalhes sobre aquilo que foi descrito como o “mais alto nível de contramedida de linha dura na história”, como a nota se refere aos próximos atos da Coreia do Norte contra os EUA.

Entretanto, Pyongyang e seu líder consideraram que o discurso de Trump na ONU tratou-se da “mais feroz declaração de guerra da história”, complementando em seguida estar certo de que o país asiático e a sua insistência em desenvolver um programa nuclear estão “no caminho certo”.

"As observações [de Trump] me convenceram que, ao invés de me assustar ou me parar, o caminho que eu escolhi é o correto e que é ele que tenho que seguir até o final", avaliou Kim, de acordo com KCNA.

"Como um homem que representa a RPDC [Coreia do Norte] e, em nome da dignidade e da honra do meu Estado e do meu povo e por minha conta, farei com que o homem que possui a prerrogativa do comando supremo nos EUA pague caro por seu discurso", concluiu Kim.

Apesar dos apelos feitos pela comunidade internacional – incluindo China e Rússia – nesta semana, durante a Assembleia Geral da ONU, em Nova York, especialistas acreditam que Pyongyang prosseguirá com o seu programa nuclear e novos testes balísticos devem ser esperados até o fim do ano.


Postar um comentário