Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Líderes da China e Índia acordam assegurar paz na fronteira

O líder chinês, Xi Jinping, e o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, acordaram durante uma reunião bilateral assegurar a paz e a estabilidade na zona fronteiriça, onde ultimamente a disputa territorial se agravou, disse o representante oficial da chancelaria chinesa, Hua Chunying.


Sputnik

Na terça-feira (5) na cidade chinesa de Xiamen foi realizada a primeira reunião bilateral entre os líderes da China e da Índia desde a resolução do conflito no Planalto de Doklam, uma zona montanhosa na fronteira que era disputada pela China, Índia e o Butão.


O líder chinês, Xi Jinping, e o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi.
Primeiro-ministro indiano Narendra Modi e líder chinês Xi Jinping | Grigory Sysoev

Em junho, um grupo de guardas de fronteira indiano atravessou a fronteira chinesa para impedir a construção, realizada por militares chineses, de uma rodovia na área de Doklam. Segundo a Índia, a sua decisão foi coordenada com o governo do Butão. Os confrontos entre os militares dos dois países duraram mais de dois meses, até que, na semana passada, chegaram a acordo sobre a retirada de suas tropas.

"O secretário-geral, Xi Jinping, disse durante a reunião que as partes têm, com base no respeito mútuo, de encontrar alguma coisa em comum apesar das diferenças existentes e defender a paz na zona fronteiriça", disse Hua Chunying.

Ele também acrescentou que "o primeiro-ministro Modi concordou durante a reunião que as partes têm de aplicar esforços conjuntos e defender a paz e estabilidade na zona fronteiriça dos dois países".


Postar um comentário

Postagens mais visitadas