Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Ministério das Relações Exteriores russo acusa EUA de ajudar terroristas na Síria

Ao reforçar seu interesse em liquidar o Daesh [organização terrorista proibida na Rússia] da face da Terra, Moscou se mostrou preocupada com o fato de os EUA demonstrarem o contrário através de suas ações, ressalta Sergei Ryabkov, vice-ministro do ministério.
Sputnik

"Apesar de tudo, alguns objetivos políticos e geopolíticos são mais importantes para Washington, o que está declarado no plano de lealdade à luta antiterrorista", disse Ryabkov a jornalistas. Segundo ele, a Rússia espera que Washington prove na prática a sua lealdade à luta contra o terrorismo na Síria.


Além disso, o diplomata chamou a morte do tenente-general Valery Asapov de preço pago pela Rússia pela hipocrisia dos EUA na questão da resolução da crise síria. Asapov, que chefiava o grupo dos conselheiros militares russos, morreu na região de Deir ez-Zor durante bombardeio do Daesh.

Na véspera, o Ministério da Defesa da Rússia publicou fotos aéreas dos bairros a norte de Deir ez-Zor controlados pelos terroristas d…

Líderes da China e Índia acordam assegurar paz na fronteira

O líder chinês, Xi Jinping, e o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, acordaram durante uma reunião bilateral assegurar a paz e a estabilidade na zona fronteiriça, onde ultimamente a disputa territorial se agravou, disse o representante oficial da chancelaria chinesa, Hua Chunying.


Sputnik

Na terça-feira (5) na cidade chinesa de Xiamen foi realizada a primeira reunião bilateral entre os líderes da China e da Índia desde a resolução do conflito no Planalto de Doklam, uma zona montanhosa na fronteira que era disputada pela China, Índia e o Butão.


O líder chinês, Xi Jinping, e o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi.
Primeiro-ministro indiano Narendra Modi e líder chinês Xi Jinping | Grigory Sysoev

Em junho, um grupo de guardas de fronteira indiano atravessou a fronteira chinesa para impedir a construção, realizada por militares chineses, de uma rodovia na área de Doklam. Segundo a Índia, a sua decisão foi coordenada com o governo do Butão. Os confrontos entre os militares dos dois países duraram mais de dois meses, até que, na semana passada, chegaram a acordo sobre a retirada de suas tropas.

"O secretário-geral, Xi Jinping, disse durante a reunião que as partes têm, com base no respeito mútuo, de encontrar alguma coisa em comum apesar das diferenças existentes e defender a paz na zona fronteiriça", disse Hua Chunying.

Ele também acrescentou que "o primeiro-ministro Modi concordou durante a reunião que as partes têm de aplicar esforços conjuntos e defender a paz e estabilidade na zona fronteiriça dos dois países".


Postar um comentário