Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha e Aeronáutica do Brasil auxiliam buscas a submarino argentino desaparecido, diz ministro

Segundo Raul Jungmann, três navios e um avião brasileiros já foram disponibilizados. Última vez que o submarino militar com 44 pessoas a bordo manteve contato com a base foi na quarta-feira (15).
Por G1, Brasília

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, publicou em seu perfil no Twitter neste sábado (18) que três navios da Marinha brasileira "já estão auxiliando" nas buscas a um submarino argentino que desapareceu com 44 tripulantes a bordo.

Ainda segundo o ministro, a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou um avião para também ajudar na procura pelo submarino e um segundo avião "será deslocado para apoiar as buscas do submarino argentino desaparecido" a partir deste domingo (19).

O submarino militar ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15), quando estava no sul do Mar Argentino, a 432 quilômetros da costa patagônica do país.

De acordo com a FAB, o primeiro avião disponibilizado pelo Brasil decolou, com 18 tripulantes, às 17…

Líderes da China e Índia acordam assegurar paz na fronteira

O líder chinês, Xi Jinping, e o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, acordaram durante uma reunião bilateral assegurar a paz e a estabilidade na zona fronteiriça, onde ultimamente a disputa territorial se agravou, disse o representante oficial da chancelaria chinesa, Hua Chunying.


Sputnik

Na terça-feira (5) na cidade chinesa de Xiamen foi realizada a primeira reunião bilateral entre os líderes da China e da Índia desde a resolução do conflito no Planalto de Doklam, uma zona montanhosa na fronteira que era disputada pela China, Índia e o Butão.


O líder chinês, Xi Jinping, e o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi.
Primeiro-ministro indiano Narendra Modi e líder chinês Xi Jinping | Grigory Sysoev

Em junho, um grupo de guardas de fronteira indiano atravessou a fronteira chinesa para impedir a construção, realizada por militares chineses, de uma rodovia na área de Doklam. Segundo a Índia, a sua decisão foi coordenada com o governo do Butão. Os confrontos entre os militares dos dois países duraram mais de dois meses, até que, na semana passada, chegaram a acordo sobre a retirada de suas tropas.

"O secretário-geral, Xi Jinping, disse durante a reunião que as partes têm, com base no respeito mútuo, de encontrar alguma coisa em comum apesar das diferenças existentes e defender a paz na zona fronteiriça", disse Hua Chunying.

Ele também acrescentou que "o primeiro-ministro Modi concordou durante a reunião que as partes têm de aplicar esforços conjuntos e defender a paz e estabilidade na zona fronteiriça dos dois países".


Postar um comentário