Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Manobras Zapad 2017 'assustam a Lituânia mais do que exige a situação'

O ministro da Defesa da Lituânia, Raimundas Karoblis, declarou que os exercícios militares estratégicos russo-bielorrussos Zapad 2017 assustam os cidadãos mais de que exige a situação, embora a ameaça real seja mínima.


Sputnik

Os exercícios estratégicos Zapad 2017 serão realizados entre os dias 14 e 20 de setembro no território da Bielorrússia, bem como em três polígonos russos. Segundo os dados do Ministério da Defesa da Rússia, até 12,7 mil militares devem participar das manobras.


Aviões Yak-130 da Força Aérea da Bielorrússia durante os preparativos para as manobras russo-bielorrussas Zapad 2017
Yak-130 da Força Aérea da Bielorrússia © Sputnik/ Viktor Tolochko

O vice-ministro da Defesa da Rússia, Aleksandr Fomin, já havia declarado em entrevistas anteriores que os exercícios são de caráter defensivo. Ele também negou os boatos que os exercícios fariam parte de preparativos para "ocupar" os Países Bálticos, a Polônia ou a Ucrânia.

"Parece que estamos assustados mais do que exige a situação", declarou na quinta-feira (14) o ministro lituano em entrevista à estação de rádio LRT.

Além disso, o ministro sublinhou que a ameaça à Lituânia proveniente dos exercícios é mínima. "Nossos serviços estão trabalhando, os especialistas sabem como controlar a situação, esperamos que as manobras decorram com calma."

De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, até o dia 30 de setembro todo o pessoal e material bélico das Forças Armadas da Rússia e Bielorrússia vão regressar para suas bases após participação dos exercícios.


Postar um comentário