Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Moscou: OTAN tenta aumentar tensões na véspera dos exercícios militares Zapad 2017

O vice-ministro russo das Relações Exteriores Aleksei Meshkov declarou na segunda-feira (4) que alguns países da OTAN tentam aumentar as tensões na véspera dos exercícios militares russo-bielorrussos Zapad 2017, marcados para setembro deste ano.


Sputnik

O vice-ministro lembrou que Moscou havia informado a Aliança Atlântica de maneira exaustiva sobre os futuros exercícios, tendo enviado os convites correspondentes.


Helicóptero Mi-8 da Força Aérea da Bielorrússia durante os preparativos para as manobras Zapad 2017
Mi-8 da Bielorússia no exercício militar Zapad 2017 © Sputnik/ Viktor Tolochko

"Aqueles países que tentam agravar a situação ao máximo na véspera destes exercícios, apresentando acusações infundadas contra a Rússia, tencionam impedir a cooperação militar entre os nossos países", comunicou.

Os exercícios conjuntos russo-bielorrussos vão decorrer no período de 14 a 20 de setembro no território da Bielorrússia. Segundo os dados do Ministério da Defesa russo, está planejada a participação de cerca de 12,7 mil militares, 70 aviões e helicópteros, 680 unidades de material bélico, incluindo 250 tanques, 200 peças de artilharia, sistemas de mísseis e morteiros, bem como de 10 navios.

As autoridades de ambos os países declararam várias vezes que as manobras serão abertas para observadores estrangeiros.

Segundo o cenário das manobras, grupos extremistas que recebem apoio militar por via marítima e aérea do exterior se infiltram na Bielorrússia e na região russa de Kaliningrado — enclave situado na costa do mar Báltico entre a Polônia e a Lituânia — para perpetrar atentados e desestabilizar a situação. As tropas devem isolar as áreas de sua infiltração e repelir a agressão.


Postar um comentário