Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Área militar do governo brasileiro demonstra desconforto com suspensão de investigação do caso Queiroz

Integrantes da área militar do governo demostraram desconforto com o pedido de suspensão da investigação para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Por Gerson Camarotti | G1

A avaliação de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro é que essa decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), só faz prolongar o desgaste provocado pelo caso.

O ministro Luiz Fux atendeu pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

Para esses auxiliares, foi uma surpresa a solicitação feita por Flávio Bolsonaro para suspender as investigações.

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao blog um auxilia…

'Não estarão muito tempo por aí', diz Trump sobre Kim Jong Un e seu chanceler

Americano respondeu a discurso em que representante norte-coreano o chamou de 'transtornado mental' na Assembleia Geral da ONU.


Por G1


O presidente americano Donald Trump recorreu ao Twitter para mandar novo recado para a Coreia do Norte. Desta vez, ele respondeu ao chanceler norte-coreano Ri Yong Ho, que no sábado (23) atacou duramente Trump, chamando-o de "um trastornado mental que está repleto de megalomania", em fala na Assembleia Geral da ONU. As ameaças do presidente americano de "destruir totalmente" a Coreia do Norte fazem com que "a visita de nossos foguetes seja inevitável", alertou ainda Ri Yong Ho.

O presidente dos EUA, Donald Trump, discursa na Assembleia Geral da ONU esta semana (Foto: Lucas Jackson/Reuters)
O presidente dos EUA, Donald Trump, discursa na Assembleia Geral da ONU esta semana (Foto: Lucas Jackson/Reuters)

"Acabei de ouvir o ministro das Relações Exteriores da Coréia do Norte falar nas Nações Unidas. Se ele faz eco dos pensamentos do homenzinho do foguete (referindo-se a Kim Jong Un), eles não estarão por aí por muito mais tempo!", twittou Trump na noite do próprio sábado.

Mais cedo, no sábado, bombardeiros americanos voaram perto da costa leste da Coreia do Norte em uma demostração de força do poder militar dos Estados Unidos ao programa armamentista de Pyongjang.

E no mesmo dia, milhares de norte-coreanos participaram neste sábado (23) de uma grande manifestação antiamericana convocada pelo regime em Pyongyang para encenar o apoio ao líder Kim Jong-un, em um momento marcado pela troca de insultos com Donald Trump, informou hoje a agência "KCNA".

Segundo o texto divulgado pela agência estatal de notícias da Coreia do Norte, mais de 100 mil pessoas participaram da concentração na praça Kim Il-sung de Pyongyang.

Durante o ato o comunicado de Kim Jong-un publicado na sexta-feira foi lido integralmente.

Nesse texto, o mandatário norte-coreano criticou o discurso que Trump tinha pronunciado na terça-feira na ONU (em que ameaçou "destruir totalmente a Coreia do Norte"), qualificou o presidente americano de "velho caduco" e fez novas ameaças a Washington.

Representantes do Exército e do Partido dos Trabalhadores leram também discursos durante o ato. "Estamos esperando o momento decisivo final para eliminar os Estados Unidos, o império do mal, do mundo", leu um oficial dos Guardas Vermelhos, segundo a "KCNA".

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas