Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

'Não permitiremos um corredor entre Teerã e Damasco', ameaça Israel após ataque à Síria

O ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, divulgou uma ameaça velada contra a Síria, sem confirmar ou negar um ataque aéreo denunciado pela Síria nas últimas horas.


Sputnik

"Estamos determinados a prevenir o ataque, ou a possibilidade de ataque dos nossos inimigos, em prol da segurança dos cidadãos de Israel", afirmou Lieberman, em entrevista à TV israelense.


Caça da Força Aérea de Israel (arquivo)
F-16 da Força Aérea de Israel © Sputnik/ Serviço de imprensa da Força Aérea de Israel

A Síria denunciou Israel por um ataque contra uma de suas posições, em um evento que matou duas pessoas. O local em questão seria uma edificação responsável pela produção de armas químicas, segundo a Agência AFP.

Localizado perto de Masyaf, entre a cidade central de Hama e um porto usado pela Marinha russa, o prédio seria ainda usado pelas forças aliadas iranianas e pela milícia xiita libanesa Hezbollah.

Ainda sem confirmar o ataque aéreo, Lieberman direcionou as suas ameaças veladas ao governo do Irã. "Faremos tudo para não permitir a existência de um corredor xiita de Teerã para Damasco", continuou Lieberman.

Ataques aéreos de Israel já foram realizados antes na região, majoritariamente direcionados a postos identificados do Hezbollah, grupo que possui o apoio de Teerã e que entrou em guerra com Tel-Aviv há 10 anos.

O governo israelense afirmou em diversas oportunidades que não permitirá que armas sofisticadas sejam enviadas ao Hezbollah, acusando o Irã por produzir "mísseis teleguiados de precisão" para a Síria e para o Líbano.


Postar um comentário