Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Vários mortos no confronto entres as forças de Maduro e rebeldes armados

Desfecho sangrento aconteceu durante a operação de captura de Óscar Pérez, que está entre os mortos.O piloto sobrevoou prédios do governo com um helicóptero roubado da polícia em junho do ano passado
Maolis Castro e Florantonia Singer | El País

Vários integrantes do grupo liderado pelo ex-policial Óscar Pérez morreram em um confronto com um coletivo – civis armados chavistas – e um comando da Força de Ações Especiais da Polícia Nacional, em que também morreram dois agentes e um militante chavista. Outros cinco membros do grupo foram presos em uma casa na região de El Junquito, no oeste de Caracas. 

O Governo venezuelano confirmou no início desta tarde que o próprio Pérez está entre os mortos. Seu nome se tornou conhecido em junho, quando roubou um helicóptero da polícia e sobrevoou a sede do Supremo Tribunal de Justiça e do Ministério do Interior. Nunca, em 18 anos de chavismo, ocorreu algo parecido na Venezuela.


O ex-inspetor do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalística…

ONU acusa Damasco de crime de guerra

A ONU acusou directamente, pela primeira vez, o governo sírio de ser responsável pelo ataque com gás sarin à localidade de Khan Sheikhun, no noroeste do país a 4 de Abril, que fez pelo menos 80 mortos.


Por Marco Martins | RFi

A comissão da ONU rejeita a ideia de que os bombardeamentos aéreos teriam atingido um depósito com munições químicas. Damasco é acusado de "crime de guerra".


media
As forças armadas sírias durante um ataque | STRINGER / AFP

O relatório divulgado pela comissão de inquérito das Nações Unidas afirma que "as forças aéreas sírias utilizaram gás sarin, matando mais de 80 pessoas, a maioria mulheres e crianças".

A ONU lembra que a utilização de armas químicas é proibida pelo direito internacional. Damasco é então acusado de "crime de guerra" pelo sucedido em Khan Sheikhun.

O ataque em Khan Sheikhun fez pelo menos 80 mortos, mais de metade crianças e mulheres. Este ataque originou a primeira ofensiva de Governo de Donald Trump contra o regime de Bashar al-Assad.

Entretanto, nesta quinta-feira (7 de Setembro), aviões israelitas terão bombardeado uma base militar do regime de Bashar al-Assad, na província de Hama, no oeste da Síria.

O exército sírio acusa Israel de ter atacado uma das suas bases, que segundo os serviços secretos ocidentais está ligada à produção de armas químicas.


Postar um comentário