Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

ONU acusa Damasco de crime de guerra

A ONU acusou directamente, pela primeira vez, o governo sírio de ser responsável pelo ataque com gás sarin à localidade de Khan Sheikhun, no noroeste do país a 4 de Abril, que fez pelo menos 80 mortos.


Por Marco Martins | RFi

A comissão da ONU rejeita a ideia de que os bombardeamentos aéreos teriam atingido um depósito com munições químicas. Damasco é acusado de "crime de guerra".


media
As forças armadas sírias durante um ataque | STRINGER / AFP

O relatório divulgado pela comissão de inquérito das Nações Unidas afirma que "as forças aéreas sírias utilizaram gás sarin, matando mais de 80 pessoas, a maioria mulheres e crianças".

A ONU lembra que a utilização de armas químicas é proibida pelo direito internacional. Damasco é então acusado de "crime de guerra" pelo sucedido em Khan Sheikhun.

O ataque em Khan Sheikhun fez pelo menos 80 mortos, mais de metade crianças e mulheres. Este ataque originou a primeira ofensiva de Governo de Donald Trump contra o regime de Bashar al-Assad.

Entretanto, nesta quinta-feira (7 de Setembro), aviões israelitas terão bombardeado uma base militar do regime de Bashar al-Assad, na província de Hama, no oeste da Síria.

O exército sírio acusa Israel de ter atacado uma das suas bases, que segundo os serviços secretos ocidentais está ligada à produção de armas químicas.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas