Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

‘Operação Aço’ – 5ª Brigada de Cavalaria Blindada treina para defesa externa (video)

Operação Aço. Assim foi batizado o exercício que a 5ª Brigada de Cavalaria Blindada (5ª Bda C Bld) realizou entre os dias 18 e 27 de setembro deste ano, para o adestramento de seus quadros, dentre oficiais, subtenentes, sargentos, cabos e soldados, em ambiente simulado para a hipótese de emprego em caso de Defesa Externa.



Forças Terrestres

Ponta Grossa (PR) – O nome é uma clara referência à característica blindada dos principais meios de combate existentes na Grande Unidade: os Carros de Combate Leopard 1A5 BR e as viaturas blindadas de transporte de pessoal M113 BR.


Resultado de imagem para operação aço
Com 12 horas ininterruptas de ataques, exercício prepara Cavalaria Blindada para a Defesa Externa. “Aço!”

O contexto da Operação abrangeu um deslocamento estratégico de mais de 1.000 km para o transporte de material, viaturas e pessoal, feito a partir das organizações militares integrantes da Brigada. Tropas das guarnições de Curitiba, Ponta Grossa, Rio Negro e Castro (cidades no Paraná) e Porto União (Santa Catarina) dirigiram-se rumo ao Campo de Instrução Barão de São Borja, em Rosário do Sul (RS).

O exercício compreendeu uma operação ofensiva, para a expulsão de um invasor fictício. Toda a manobra empregou cerca de 521 militares, dentre homens e mulheres, bem como 88 viaturas, das quais 32 eram blindadas. Os ataques realizados duraram em torno de 12 horas ininterruptas e exigiram planejamento e coordenação continuados. A Operação Aço teve, como ponto alto, a execução de 450 tiros com o canhão 105 milímetros dos carros de combate e mais de 1.000 tiros com metralhadoras calibre 0,5 polegada.

A finalidade do exercício foi manter o adestramento da tropa em níveis elevados e compatível com a missão da Brigada, que é estar capaz de atuar em qualquer parte do território nacional ou área de interesse, tendo em vista seu elevado poder de combate e seu efeito dissuasório. O Exército Brasileiro possui, ao todo, duas brigadas blindadas, sendo a 5ª Bda C Bld uma delas.


Postar um comentário