Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Opinião: China 'deve se preparar' para a guerra na península da Coreia

Pequim deve realizar conversações com os outros países para se preparar para um possível conflito na região, acredita o analista Jia Qingguo, citado pelo South China Morning Post.


Sputnik

De acordo com analista chinês, a China tem que elaborar planos de reserva para utilizar no caso de agravamento da crise na península de Coreia.


Desfile militar na China (foto de arquivo)
Desfile militar na China © AP Photo/ Pang Xinglei/Xinhua

No artigo publicado pelo tabloide East Asia Fórum, o professor Jia Qingguo, da Universidade de Relações Exteriores de Pequim, exortou a China a elaborar planos de contingência com os EUA e a Coreia do Sul, informa o South China Morning Post.

"Até ao momento, Pequim resistiu à ideia por medo de desagradar e alienar Pyongynag. Mas, considerando os recentes desenvolvimentos, Pequim pode não ter melhor opção do que iniciar negociações com Washington e Seul. Quando a guerra realmente ocorrer, a China deve estar preparada", disse Jia Qingguo.

Ele acrescentou que, se o regime de Kim Jong-un cair, mais provavelmente em resultado de um ataque dos EUA, a China ou os EUA deveriam estar preparados para controlar as instalações nucleares da Coreia do Norte, de forma a não permitir a proliferação de armas nucleares.

"O Exército chinês deve agir rapidamente para proteger as instalações mais importantes, prevenir uma crise de refugiados e a proliferação nuclear e garantir uma posição favorável da China na resolução internacional", escreve o analista Cheng Xiaohe.

Ele precisou que, após a crise na península Coreana, os interesses básicos da China consistem em acabar com as armas nucleares na região e garantir que as forças dos EUA se mantêm a sul do paralelo 38. Entre outras considerações fundamentais estão um acordo de fronteiras, o reembolso da dívida de Pyongyang à China e a proteção dos consórcios comerciais da China no território da Coreia do Norte.


Postar um comentário