Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Moscou revela fotos de material bélico dos EUA nas posições do Daesh

O Ministério da Defesa da Rússia publicou na sua conta no Facebook fotos aéreas de posições do Daesh (organização proibida na Rússia), perto da cidade de Deir ez-Zor, nas quais se vê material bélico dos EUA.
Sputnik

"Graças às fotografias aéreas captadas entre 8 e 12 de setembro de 2017, perto das posições do Daesh foi detectado um grande número de veículos blindados norte-americanos Hummer que estão em serviço das forças especiais dos EUA", informou o ministério.


Segundo o ministério, nas fotos é claramente visível o posicionamento das forças especiais dos EUA em pontos de apoio que anteriormente foram equipados pelos terroristas. Nas fotos não há nenhuns vestígios de ataques, bem como de confrontos com os terroristas ou crateras provocadas por ataques aéreos realizados pela coalizão internacional liderada pelos EUA.

"Embora os pontos de apoio dos destacamentos das Forças Armadas dos EUA estejam nas zonas das atuais posições do Daesh, não existem quaisquer vestígios de pre…

Oposição síria se une para formar 'Exército Nacional'

Representantes de 43 grupos armados da oposição síria chegaram a um acordo para se unir no âmbito do Governo Provisório da Síria.


Sputnik

Fontes do Exército Livre da Síria declararam à Sputnik Turquia que está sendo planejada a criação de um "Exército Nacional".


Militantes do Exército Livre da Síria em Dabiq, foto de arquivo
Militantes do Exército Livre da Síria em Dabiq © AFP 2017/ Nazeer al-Khatib

O vice-presidente da Coalizão Nacional das Forças Revolucionárias Sírias e de Oposição, Abdulrahman Mustafa, disse que entre os grupos de oposição que manifestaram o desejo de aderir ao novo corpo há representantes do Ahrar al-Sham, divisões do Exército Livre da Síria que participaram da operação Escudo do Eufrates e outros grupos armados de oposição.

Trata-se de grupos como o Yeish al-Islam, o Faylak al-Sham, a Divisão do Sultão Murad e a Frente de Damasco.

De acordo com Mustafa, 90% dos grupos da chamada oposição moderada farão parte desta unidade militar. "É claro que o processo de formação do exército implica um trabalho longo. Mas o mais importante é que os representantes da oposição declararam sua lealdade ao Ministério da Defesa do Governo Provisório e compreenderam e apoiaram a ideia de criar um Exército Nacional", destacou.

"Inicialmente, o processo não será fácil, pois é necessário integrar todas estas unidades militares, mas, em seguida, será criado um exército profissional. A principal tarefa do Exército Nacional é a luta contra Bashar Assad e os grupos terroristas", disse Mustafa.

Um dos comandantes do Exército Livre da Síria explicou à Sputnik que o trabalho para criar um Exército Nacional estava sendo desenvolvido há muito tempo.

"Os grupos de oposição da Síria estavam constantemente desconectados, o que dava lugar a problemas. Não sendo uma única entidade, muitas vezes combatem entre si, e por isso não podem resistir eficazmente aos destacamentos de autodefesa curdos, ao Daesh [grupo terrorista, proibido na Rússia] e às tropas do governo sírio", comenta o comandante.

Segundo ele, qualquer grupo que tenha passado a integrar a nova formação já não pode atuar independentemente. O papel principal no Exército Nacional será desempenhado pelo agrupamento Ahrar al-Sham.

O objetivo da nova formação será levar a cabo operações militares conjuntas para expulsar Bashar Assad do governo e combater as unidades de defesa curdas. A ideia tem o apoio total da Turquia, Arábia Saudita e Qatar.


Postar um comentário