Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Oposição síria se une para formar 'Exército Nacional'

Representantes de 43 grupos armados da oposição síria chegaram a um acordo para se unir no âmbito do Governo Provisório da Síria.


Sputnik

Fontes do Exército Livre da Síria declararam à Sputnik Turquia que está sendo planejada a criação de um "Exército Nacional".


Militantes do Exército Livre da Síria em Dabiq, foto de arquivo
Militantes do Exército Livre da Síria em Dabiq © AFP 2017/ Nazeer al-Khatib

O vice-presidente da Coalizão Nacional das Forças Revolucionárias Sírias e de Oposição, Abdulrahman Mustafa, disse que entre os grupos de oposição que manifestaram o desejo de aderir ao novo corpo há representantes do Ahrar al-Sham, divisões do Exército Livre da Síria que participaram da operação Escudo do Eufrates e outros grupos armados de oposição.

Trata-se de grupos como o Yeish al-Islam, o Faylak al-Sham, a Divisão do Sultão Murad e a Frente de Damasco.

De acordo com Mustafa, 90% dos grupos da chamada oposição moderada farão parte desta unidade militar. "É claro que o processo de formação do exército implica um trabalho longo. Mas o mais importante é que os representantes da oposição declararam sua lealdade ao Ministério da Defesa do Governo Provisório e compreenderam e apoiaram a ideia de criar um Exército Nacional", destacou.

"Inicialmente, o processo não será fácil, pois é necessário integrar todas estas unidades militares, mas, em seguida, será criado um exército profissional. A principal tarefa do Exército Nacional é a luta contra Bashar Assad e os grupos terroristas", disse Mustafa.

Um dos comandantes do Exército Livre da Síria explicou à Sputnik que o trabalho para criar um Exército Nacional estava sendo desenvolvido há muito tempo.

"Os grupos de oposição da Síria estavam constantemente desconectados, o que dava lugar a problemas. Não sendo uma única entidade, muitas vezes combatem entre si, e por isso não podem resistir eficazmente aos destacamentos de autodefesa curdos, ao Daesh [grupo terrorista, proibido na Rússia] e às tropas do governo sírio", comenta o comandante.

Segundo ele, qualquer grupo que tenha passado a integrar a nova formação já não pode atuar independentemente. O papel principal no Exército Nacional será desempenhado pelo agrupamento Ahrar al-Sham.

O objetivo da nova formação será levar a cabo operações militares conjuntas para expulsar Bashar Assad do governo e combater as unidades de defesa curdas. A ideia tem o apoio total da Turquia, Arábia Saudita e Qatar.


Postar um comentário