Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares norte-americanos acreditam que EUA entrarão em guerra

Quase metade do Exército dos EUA está confiante de que durante o ano de 2019 seu país estará envolvido em um grave conflito armado, de acordo com o Military Times.
Sputnik

Segundo uma pesquisa recente, 46% dos participantes não duvidam que o confronto militar ocorrerá no próximo ano.


A título de comparação, em 2017, apenas 5% dos militares dos EUA esperavam um conflito armado, enquanto 50% descartaram um cenário de guerra e 4% não responderam.

Quanto aos inimigos mais prováveis, os soldados dos EUA mencionaram principalmente a Rússia e a China. Respectivamente, 72% e 69% dos entrevistados escolheram esses dois países.

Além disso, cerca de 57% estão preocupados com a presença de extremistas islâmicos nos Estados Unidos. Em particular, 48% destacaram uma possível ameaça por parte dos grupos terroristas Daesh e Al Qaeda (proibidos na Rússia e em outros países).

Para Donetsk, ajuda militar norte-americana incentivará agressão de Kiev em Donbass

Qualquer ajuda militar da parte dos EUA será entendida por Kiev como um incentivo para continuar combates em Donbass, ao invés de regular o conflito de modo pacífico, de acordo com o comando operacional da República Popular de Donetsk.


Sputnik

"Este dinheiro será destinado à guerra, não a prestações sociais. Será destinado somente à guerra. Isso significa que o número de vítimas em nosso território pode aumentar", sublinhou o vice-chefe do comando operacional de Donetsk, Eduard Basurin.


Soldados ucranianos perto de um tanque nas posições perto da cidade de Mariupol, em Donbass
Soldados ucranianos próximos a Donbass © AP Photo/ Vadim Ghirda

Hoje (19), o presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko, comunicou que o Senado estadunidense aprovou alocação de US$ 500 milhões para Kiev. Segundo ele, este dinheiro será destinado também a "entregas de armas letais de caráter defensivo".

Comentando as palavras de Poroshenko, o Kremlin disse que não sabe nada sobre a decisão do Senado norte-americano e que Washington não fez declaração alguma.

Durante os últimos três anos, as autoridades ucranianas esperam receber armas letais dos EUA. No momento, Washington está prestando ajuda militar à Ucrânia, mas apenas em forma de munições e equipamentos, assim como através do treinamento dos soldados da Guarda Nacional da Ucrânia.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas