Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Por que razão os EUA evacuaram chefes do Daesh de Deir ez-Zor?

Enquanto Washington nega a evacuação de comandantes do Daesh de Deir ez-Zor, a probabilidade de isso ter ocorrido é quase de 100%, acredita o senador russo Frantz Klintsevich.


Sputnik

De acordo com ele, este gesto norte-americano é explicado pelo fato de que "os EUA sempre veem o propósito da sua existência na confrontação com a Rússia". 


Fuzileiros navais norte-americanos em al-Qaim, perto da fronteira síria, oeste do Iraque (Arquivo)
Fuzileiros navais dos EUA na Síria © AFP 2017/ USMC

Na quinta (07) a Sputnik recebeu a informação de que a Força Aérea dos EUA tinha evacuado mais de 20 chefes militares de Deir ez-Zor. A coalizão internacional negou a informação. Mas, de acordo com o vice-presidente do Comitê para a Defesa do Conselho da Federação (câmara alta do Parlamento russo) Frants Klintsevich, a evacuação teve realmente lugar.

"Não importa como se tenta refutar as informações sobre a evacuação de mais de 20 comandantes da região de Deir ez-Zor, toda a vasta experiência das ações norte-americanas, incluindo no Afeganistão, nos leva à convicção que isso ocorreu com a probabilidade de quase 100%. Tendo vivido essa guerra, posso dizer que sentimos a participação direta dos americanos do lado dos Mujahidin", escreveu Klintsevitch na sua página no Facebook.

De acordo com ele, não seria possível evacuar centenas de jihadistas de Deir ez-Zor, mas aqui o número não importa. O que importa aqui é que "os EUA sempre veem o propósito da sua existência na confrontação com a Rússia".

Uma fonte diplomática e militar confirmou à Sputnik que, em 26 de agosto, um helicóptero militar norte-americano evacuou dois chefes militares do Daesh "de origem europeia" e os membros das suas famílias da localidade de al-Treif, situada a nordeste de Deir ez-Zor.

Em maio do ano em curso a aviação norte-americana já havia evacuado os chefes de guerra e mercenários estrangeiros de origem europeia que estavam combatendo na região de Deir ez-Zor. Em junho e julho, foram realizadas operações de evacuação de terroristas na província de Raqqa.


Postar um comentário