Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Premiê do Iraque pede que Curdistão anule referendo e inicie diálogo

O primeiro-ministro do Iraque, Haider Al Abadi, pediu nesta quarta-feira que as autoridades da região autônoma do Curdistão que anulem o referendo de independência, realizada na segunda-feira, e que comecem um diálogo com a Constituição como base.


EFE

"Se deve anular o referendo e entrar em um diálogo direto sob o marco da Constituição, e exigimos à região que suprima todas as consequências do referendo", disse Al Abadi durante um discurso no parlamento do Iraque.

Haider Al Abadi em foto de fevereiro de 2017. EFE/EPA/Philipp Guelland
Haider Al Abadi em foto de fevereiro de 2017. EFE/EPA/Philipp Guelland

A realização do referendo de autodeterminação do Curdistão iraquiano prejudicou as relações entre a região autônoma e Bagdá, que, em represália, exigiu assumir o controle do tráfego aéreo e das passagens terrestres, ameaçando realizar um bloqueio.

"A relação com a região do Curdistão é estabelecida pela Constituição. Por isso que não dialogaremos em absoluto sobre o resultado do referendo", afirmou o primeiro-ministro.

Al Abadi destacou que alertou as autoridades do Curdistão sobre a crise que o referendo poderia causar na região.

"Defenderemos os cidadãos curdos, como defenderemos os turcomanos, os cristãos e os árabes, tanto dentro como fora da região do Curdistão. Qualquer agressão contra um cidadão curdo é uma agressão contra todos nós", completou o premiê iraquiano.

Além disso, Al Abadi exigiu que o Curdistão devolva os territórios sob administração da região autônoma, uma referência às regiões cujo controle é disputado entre Erbil e Bagdá.

As regiões, entre as quais se destaca a rica cidade petroleira de Kirkuk, estão a província de Kirkuk, Ninawa e Diyala, administradas pelo Iraque e controladas de fato pelas forças de segurança curda, que expulsaram o Estado Islâmico da região.

Postar um comentário