Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Presidente da Coreia do Sul diz que é contra armas nucleares apesar de ameaças da Coreia do Norte

Moon Jae-in defende que o seu país desenvolva sua capacidade militar.


Por G1

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, afirmou à CNN nesta quinta-feira (14) que é contra o desenvolvimento de armas nucleares em seu país apesar das constantes ameaças nucleares da vizinha, Coreia do Norte.

Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, durante Fórum Econômico Oriental em Vladivostok, na Rússia, na quinta-feira (7) (Foto: Sergei Bobylev / TASS News Agency Pool Photo via AP)
Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, durante Fórum Econômico Oriental em Vladivostok, na Rússia, na quinta-feira (7) (Foto: Sergei Bobylev / TASS News Agency Pool Photo via AP)

"Eu não concordo que a Coreia do Sul precisa desenvolver nossas próprias armas nucleares ou mudar sua estratégias sobre as armas nucleares por causa da ameaça nuclear da Coreia do Norte", declarou em sua primeira entrevista televisiva desde o sexto teste nuclear da Coreia do Norte. Para Jae-In, o seu país precisa desenvolver sua capacidade militar.

"Responder à Coreia do Norte desenvolvendo nossas próprias armas nucleares não manterá a paz na Península da Coreia e poderia levar a uma corrida armamentista no nordeste da Ásia", afirmou Moon.

Coreia do Norte

Diferentemente da vizinha do sul, o governo da Coreia do Norte defende que o arsenal atômico é o único fator capaz de impedir que outras nações destruam o país, que já vive praticamente isolado do resto do mundo.

Preocupada com a situação na região, a comunidade internacional condena o programa nuclear, e o Conselho de Segurança da ONU já aprovou várias sanções contra o país. A China, único aliado real do regime, pressiona o governo econômica e diplomaticamente a se desarmar.

Porém, os Estados Unidos não descartam usar a força militar contra o regime depois que a Coreia do Norte ameaçou atacar o território americano de Guam (uma ilha no Pacífico em que os americanos mantêm uma base militar) e o Japão.

Após o anúncio de um teste 'bem-sucedido' com uma bomba de hidrogênio, o sexto feito por Pyongyang nos últimos 11 anos, a tensão voltou a aumentar na região. Kim Jong-un considerou o teste um passo 'significativo' para completar o programa de armas nucleares do país.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas