Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Presidente iraniano: EUA 'pagarão caro' caso abandonem acordo nuclear com Irã

Em entrevista à emissora CNN, o presidente iraniano, Hassan Rouhani, advertiu que os EUA "pagarão caro" se o presidente Donald Trump cumprir suas ameaças de abandonar o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, sigla em inglês), o acordo nuclear com o Irã. Este acordo seria um dos temas discutidos na Assembleia Geral da ONU nesta semana em Nova York.


Sputnik

Segundo Hassan Rouhani, "a saída do acordo teria um alto custo para os EUA, e não acho que os norte-americanos estejam dispostos a pagar um custo tão alto por algo que vai ser inútil para eles". O líder do Irã acrescentou que este passo "não só dará resultados para os EUA, mas vai diminuir e minar a confiança internacional depositada nos EUA".


Presidente iraniano, Hassan Rouhani
Presidente iraniano Hassan Rouhani © AFP 2017/ ATTA KENARE

O presidente iraniano ressaltou que Teerã está disposto a responder à possível retirada dos EUA do acordo e a resposta seria dada "muito rapidamente", "provavelmente em uma semana". "Se os EUA quiserem aumentar as tensões, verão a reação do Irã", disse ele.

Rouhani advertiu na entrevista que a retirada do acordo nuclear com o Irã estabeleceria um precedente diplomático. De acordo com o presidente, seria difícil convencer outros países, como a Coreia do Norte, a sentar-se à mesa de negociações com Washington, porque "eles pensariam que depois de anos de negociações e um possível acordo, a próxima administração dos EUA poderia passar por cima do mesmo ou simplesmente abandoná-lo".

Anteriormente, o líder supremo do Irã, Ali Khamenei, advertiu Washington que Teerã não será intimidada pelas ameaças do presidente Donald Trump de romper o acordo nuclear. O Irã, segundo ele, reagirá fortemente a qualquer "ação equivocada" que pode minar o JCPOA.


Postar um comentário