Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Rápido e invulnerável: novo sistema russo de defesa antimísseis (VÍDEO)

Um vídeo recém-publicado mostra o sistema de defesa antimísseis de curto alcance Sosna em ação.


Sputnik

O sistema de defesa antimísseis Sosna, cujos testes estatais foram concluídos em 2017, foi projetado para substituir o antigo sistema Strela 10. O complexo dispara mísseis guiados 9М340 de alta precisão.


Sistema de defesa antiaérea Sosna
Sistema de defesa antiaerea Sosna © Foto: KBtochmash

Voando a uma velocidade de 3.240 quilômetros por hora, este míssil é invulnerável frente aos meios óticos e eletrônicos utilizados na guerra radioeletrônica.

Cada sistema antiaéreo porta 12 mísseis, que podem ser lançados em apenas cinco segundos, com o alcance de 10 quilômetros e a uma altitude máxima de até cinco quilômetros.

A vantagem mais importante do sistema Sosna é sua grande capacidade de sobrevivência em combate, assegurada pela possibilidade de funcionar de forma oculta. É quase impossível detectá-lo pela radiação, já que o sistema transmite sinais muito fracos entre a bateria e a estação de controle.

Além disso, o Sosna é capaz de operar de forma autônoma, informa o jornal russo Rossiyskaya Gazeta.



Postar um comentário