Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Rússia alerta: Pyongyang responderá com dureza às novas sanções

A Coreia do Norte responderá com medidas mais duras às novas sanções, disse o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Igor Morgulov.


Sputnik

A embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, pediu ao Conselho de Segurança "sanções mais fortes que nos permitam resolver esse problema através da diplomacia", e informou que seu país está preparando um projeto de resolução que será posto à votação em 11 de setembro.


Lançadores múltiplos de foguetes vistos quando estavam disparando durante um treinamento em lugar desconhecido da Coreia do Norte.
Lançadores múltiplos de foguetes da Coreia do Norte © REUTERS/ KCNA

"Os EUA estão apelando para adotar novas sanções [contra a Coreia do Norte], mais duras que as anteriores, que serão seguidas de novas respostas duras por parte da Coreia do Norte”, disse Morgulov em uma reunião do Clube de Discussão Internacional Valdai, que reúne especialistas de todo o mundo.

A iniciativa dos EUA constitui um círculo vicioso que apenas agravará a situação, acrescentou ele.

De acordo com o diplomata, o mundo deve entender que "o mecanismo das sanções está praticamente esgotado".

O vice-ministro chama a reflectir sobre qual é o objetivo das sanções aplicadas à Coreia do Norte.

"Se o objetivo é asfixiar este país e levá-lo ao colapso, a Rússia não vai participar disso", acrescentou.

Para sair da crise, a Rússia propõe passar das sanções ao diálogo.

"É importante entender o que está por trás das aspirações da Coreia do Norte de possuir armas nucleares", acrescentou Morgulov.

"Os ensaios balísticos e nucleares da Coreia do Norte estão continuando, a presença militar dos EUA na zona aumenta e a retórica belicista de ambas as partes está crescendo, levando a situação à beira de um conflito armado com consequências imprevisíveis e verdadeiramente catastróficas", disse ele.


Postar um comentário