Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Rússia desmente ataque aéreo às posições das Forças Democráticas da Síria

O Ministério da Defesa da Rússia desmentiu ter um plano de atacar as posições das Forças Democráticas da Síria (FDS) ao leste do Eufrates, na área perto de Deir ez-Zor.


Sputnik

O porta-voz do ministério, major-general Igor Konashenkov, disse que os comandantes do contingente russo informaram com antecedência seus colegas dos EUA sobre a operação militar que o exército da Síria, apoiado pela aviação russa, continua contra os terroristas do Daesh (organização proibida na Rússia e em vários outros países) na área de Deir ez-Zor.


Combatentes das Forças Democráticas da Síria (FDS)
Combatentes das Forças Democráticas da Síria © REUTERS/ Rodi Said

"Em primeiro lugar, estão sendo destruídas aquelas posições a partir das quais os terroristas mantêm as tropas sírias sob fogo intenso. Durante os últimos dias, na margem leste do Eufrates, os meios de reconhecimento e controle russos não detectaram qualquer confronto entre os terroristas do Daesh e combatentes de uma terceira força", afirmou o militar.

Konashenkov acrescentou que compete à coalizão internacional esclarecer como os rebeldes ou conselheiros militares dos países aliados teriam penetrado sem combater nas posições do Daesh a leste de Deir ez-Zor.

Em 16 de setembro, a coalização internacional acusou a Rússia de ter atacado as FDS perto da cidade de Deiz ez-Zor, provocando feridos entre os seus soldados.

De acordo com a coalização, projéteis russos atingiram um local onde "os russos sabiam da presença das FDS e de conselheiros da coalização".

Na semana passada, as tropas sírias quebraram a resistência do Daesh perto do aeródromo de Deir ez-Zor e romperam o cerco da base aérea, mantido pelos terroristas desde janeiro passado.


Postar um comentário