Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha e Aeronáutica do Brasil auxiliam buscas a submarino argentino desaparecido, diz ministro

Segundo Raul Jungmann, três navios e um avião brasileiros já foram disponibilizados. Última vez que o submarino militar com 44 pessoas a bordo manteve contato com a base foi na quarta-feira (15).
Por G1, Brasília

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, publicou em seu perfil no Twitter neste sábado (18) que três navios da Marinha brasileira "já estão auxiliando" nas buscas a um submarino argentino que desapareceu com 44 tripulantes a bordo.

Ainda segundo o ministro, a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou um avião para também ajudar na procura pelo submarino e um segundo avião "será deslocado para apoiar as buscas do submarino argentino desaparecido" a partir deste domingo (19).

O submarino militar ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15), quando estava no sul do Mar Argentino, a 432 quilômetros da costa patagônica do país.

De acordo com a FAB, o primeiro avião disponibilizado pelo Brasil decolou, com 18 tripulantes, às 17…

Rússia está preocupada com novo teste nuclear de Pyongyang

A Rússia expressa "profunda preocupação" com o novo teste nuclear da Coreia do Norte, declarou o Ministério das Relações Exteriores russo.


Sputnik

"Expressamos nossa profunda preocupação com o teste em 3 de setembro de um 'explosivo termonuclear para míssil balístico intercontinental' realizado pela Coreia do Norte", lê-se em um comunicado do ministério. 


Vista do Kremlin e Ministério das Relações Exteriores da Rússia
Vista do Kremlin e do Ministério das Relações Exteriores da Rússia © Sputnik/ Yevgeny Biyatov

"O desprezo que Pyongyang mostra desta maneira mais uma vez em relação às exigências das resoluções do Conselho de Segurança da ONU e às normas do direito internacional merecem a mais decidida condenação", afirmou chancelaria em um comunicado.

Ao mesmo tempo, Moscou pede para "manter o sangue frio e evitar ações que possam levar a uma escalada da tensão".

"Apelamos a todas as partes envolvidas para retomar o diálogo e as negociações como o único meio possível de obter uma solução congruente aos problemas da Península da Coreia, incluindo o nuclear", afirma o comunicado.

No início de julho, Moscou e Pequim se pronunciaram a favor de parar simultaneamente o programa de mísseis e nuclear norte-coreano e os exercícios militares conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul.

A Coreia do Norte declarou este domingo (3) ter realizado um teste bem-sucedido de uma bomba de hidrogênio, destinada aos mísseis balísticos intercontinentais.

Este foi o sexto ensaio desde 2005, quando a Coreia do Norte foi declarada potência nuclear; os anteriores ocorreram em 2006, 2009, 2013 e dois em 2016.


Postar um comentário