Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Diferentes e parecidos: em que aspectos F-16 e MiG-29 se desafiam

Famoso, leve, universal e ainda relevante: há 40 anos, em 15 de agosto de 1978, a Força Aérea dos EUA adotou em serviço um caça multifuncional de quarta geração – o F-16.
Sputnik

No total, até 2018, mais de 4.500 aeronaves desse tipo foram construídas. Por sua produção em massa o "falcão de ataque", como os pilotos batizaram respeitosamente a aeronave, é um recorde mundial absoluto entre os caças leves. E por suas capacidades de voo e combate o F-16 figura ao mesmo nível dos principais concorrentes – os caças soviéticos e russos MiG-29.

Nesta matéria, a Sputnik apresenta as semelhanças e diferenças entre esses projetos, implementados quase simultaneamente.

Pequeno e armado

Na década de 1970, antes da introdução do caça pesado F-15 Eagle, a Força Aérea dos EUA percebeu que necessitava de um aparelho mais barato, simples e tecnologicamente avançado – um caça tático leve para obter superioridade aérea local. Cinco empresas norte-americanas apresentaram seus projetos. O Pentágono con…

'Rússia não aceita pretensões da Coreia do Norte de obter estatuto de potência nuclear'

O representante permanente da Rússia na ONU, Vasily Nebenzya, explicou por que a Rússia apoiou as novas sanções contra a Coreia do Norte.


Sputnik

O diplomata declarou que Moscou está em desacordo com as intenções de Pyongyang de se tornar potência nuclear.


Vasily Nebenzya, embaixador russo na ONU
Vasily Nebenzya, embaixador russo na ONU © Sputnik/ Grigory Sysoev

"Nós não aceitamos as pretensões da Coreia do Norte de obter o status de potência nuclear e apoiamos todas as resoluções do Conselho de Segurança da ONU que exigem o abandono dos programas nuclear e de mísseis, no interesse da desnuclearização da península da Coreia", disse Nebenzya.

No entanto, o embaixador da Rússia na ONU também apela a todos os países membros da ONU para aplicarem esforços conjuntos a fim de encontrar uma solução pacífica para o conflito.

"Apelamos a todos os membros do Conselho de Segurança e a todos os membros da ONU para aplicarem esforços concretos, não com palavras, mas com ações, para encontrar uma solução político-diplomática do problema da península da Coreia", acrescentou ele.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou, por unanimidade, a adoção de novas sanções contra a Coreia do Norte, em resposta a um recente teste nuclear realizado por Pyongyang.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas