Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Kim Jong-un: Após 'declaração de guerra feroz', Trump e os EUA pagarão caro

Em um raro pronunciamento, o líder norte-coreano Kim Jong-un disse nesta sexta-feira (horário local) que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu povo "pagarão caro"pelas “palavras excêntricas” que pregaram a destruição da Coreia do Norte.
Sputnik

Em seu discurso na Assembleia Geral da ONU, Trump afirmou que os EUA estão prontos para a "destruição total" da Coreia do Norte, caso isso se faça necessário.


Além disso, o presidente estadunidense chamou Kim de "Homem Foguete", pelo que considera uma "tática suicida" de provocações contra Washington e o resto dos seus aliados na Ásia.

"Agora estou pensando muito sobre a resposta que ele poderia ter esperado quando ele se permitiu que palavras tão excêntricas tropeçassem da sua língua", disse Kim, em declarações reproduzidas pela Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA).

"Qualquer coisa que Trump possa ter esperado, ele enfrentará resultados além de suas expectativas. Eu vou, …

Secretário-geral da ONU: Solução militar da crise coreana será uma catástrofe

A solução militar da crise coreana seria uma catástrofe, é necessário buscar meios políticos para regularizar a situação, declarou o secretário-geral da ONU, António Guterres.


Sputnik

"Devemos condenar severamente os testes de mísseis e nucleares da Coreia do Norte, considerando a desnuclearização da península da Coreia como a nossa prioridade. Ao mesmo tempo, devemos entender que a solução militar da crise coreana será uma catástrofe. É vital fazer tudo o possível a fim de criar as condições para a iniciativa diplomática e a solução pacífica", declarou Guterres em entrevista à Sputnik.


O míssil balístico intercontinental lançado pela Coreia do Norte
Lançamento de míssil balístico intercontinental da Coreia do Norte © REUTERS/ KCNA

Ao mesmo tempo, o secretário-geral da ONU indicou que está muito preocupado com a crise em torno da Coreia do Norte:

"Acho que é vital evitar que a situação saia fora de controle. É claro que a Coreia do Norte deve observar o direito internacional e as resoluções do Conselho de Segurança [da ONU]. O mesmo devem fazer todos os Estados", destacou.

Não obstante, Guterres sublinhou que "é preciso encarar as resoluções do Conselho da Segurança não só como um instrumento fundamental de pressão sobre a Coreia do Norte, mas também como um meio para obter uma solução diplomática".

Em 3 de setembro, a Coreia do Norte declarou ter realizado um teste bem-sucedido de uma bomba de hidrogênio destinada aos seus mísseis balísticos intercontinentais.

Este foi o sexto teste atômico desde que o país se proclamou potência nuclear em 2005.
Para além disso, desde o início do ano, Pyongyang realizou 13 testes de mísseis balísticos, incluindo o lançamento de supostos mísseis intercontinentais capazes de alcançar o território dos EUA.

Em 11 de setembro, o Conselho de Segurança da ONU aprovou um novo pacote de sanções contra a Coreia do Norte, proposto pelos EUA, que afeta severamente a capacidade norte-coreana de abastecimento de combustível.

A resolução, que foi votada pelos 15 países-membros do Conselho de Segurança da ONU, estabelece um embargo às exportações de têxteis norte-coreanos e às importações pela Coreia do Norte de gás natural liquefeito e de gás natural comprimido.


Postar um comentário