Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Secretário-geral da ONU: Solução militar da crise coreana será uma catástrofe

A solução militar da crise coreana seria uma catástrofe, é necessário buscar meios políticos para regularizar a situação, declarou o secretário-geral da ONU, António Guterres.


Sputnik

"Devemos condenar severamente os testes de mísseis e nucleares da Coreia do Norte, considerando a desnuclearização da península da Coreia como a nossa prioridade. Ao mesmo tempo, devemos entender que a solução militar da crise coreana será uma catástrofe. É vital fazer tudo o possível a fim de criar as condições para a iniciativa diplomática e a solução pacífica", declarou Guterres em entrevista à Sputnik.


O míssil balístico intercontinental lançado pela Coreia do Norte
Lançamento de míssil balístico intercontinental da Coreia do Norte © REUTERS/ KCNA

Ao mesmo tempo, o secretário-geral da ONU indicou que está muito preocupado com a crise em torno da Coreia do Norte:

"Acho que é vital evitar que a situação saia fora de controle. É claro que a Coreia do Norte deve observar o direito internacional e as resoluções do Conselho de Segurança [da ONU]. O mesmo devem fazer todos os Estados", destacou.

Não obstante, Guterres sublinhou que "é preciso encarar as resoluções do Conselho da Segurança não só como um instrumento fundamental de pressão sobre a Coreia do Norte, mas também como um meio para obter uma solução diplomática".

Em 3 de setembro, a Coreia do Norte declarou ter realizado um teste bem-sucedido de uma bomba de hidrogênio destinada aos seus mísseis balísticos intercontinentais.

Este foi o sexto teste atômico desde que o país se proclamou potência nuclear em 2005.
Para além disso, desde o início do ano, Pyongyang realizou 13 testes de mísseis balísticos, incluindo o lançamento de supostos mísseis intercontinentais capazes de alcançar o território dos EUA.

Em 11 de setembro, o Conselho de Segurança da ONU aprovou um novo pacote de sanções contra a Coreia do Norte, proposto pelos EUA, que afeta severamente a capacidade norte-coreana de abastecimento de combustível.

A resolução, que foi votada pelos 15 países-membros do Conselho de Segurança da ONU, estabelece um embargo às exportações de têxteis norte-coreanos e às importações pela Coreia do Norte de gás natural liquefeito e de gás natural comprimido.


Postar um comentário