Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Será que Rússia se prepara para uma guerra 'continental'?

O Kremlin está se preparando para uma “guerra à escala continental” e vai ser apoiado pela Bielorrússia, acredita o presidente ucraniano Pyotr Poroshenko.


Sputnik

"Há cada vez mais evidências de preparação para uma guerra ofensiva à escala continental", declarou o presidente da Ucrânia Pyotr Poroshenko comentando as manobras russo-bielorrussas Zapad-2017.


Exercícios militares dos soldados russos
Soldados russos em exercício militar © Foto: TOF press service

Lembrando as "ameaças" provenientes do "país inimigo" aos ucranianos, Poroshenko se esquece dos apelos constantes por parte de Moscou para que os acordos de Minsk sejam respeitados.

As histórias sobre "a ameaça russa" parecem ser mais emocionantes do que a triste realidade em que os ucranianos vivem, insatisfeitos com a vida e com as autoridades.

"Não é menos verdadeiro que a sociedade está insatisfeita com a vida e o governo", reconheceu o presidente, alegando ao mesmo tempo a "agressão externa" para justificar todos os fracassos de Kiev.

Evocar o inimigo comum parece ser, portanto, a maneira mais cómoda de sufocar a violência do conflito interno ucraniano em Donbass, uma região onde uma grande parte dos cidadãos proclama sua independência de Kiev. A verdade é que a Ucrânia está lutando contra seu próprio povo por vários anos.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas