Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

Sérvia vai investigar as consequências dos bombardeio da OTAN em 1999

O grupo de ação formado por profissionais médicos, cientistas e militares da Sérvia divulgou um pedido ao Ministério da Saúde da Sérvia e ao Ministério da Proteção Ambiental para realizar uma investigação sobre as consequências dos bombardeios da OTAN de 1999.


Sputnik

De acordo com o grupo de ação, o estado de saúde das pessoas nas áreas próximas aos locais de bombardeio é bastante ruim devido ao impacto da contaminação radioativa. Em particular, a professora Danica Grujicic, chefe do departamento de neurocirurgia do Centro Clínico da Sérvia, levantou a questão do câncer, doenças auto-imunes e infertilidade.


Imagem da Estação dos correios central de Pristina destruído pela OTAN, Iugoslávia, 15 de junho de 1999
Prédio do correio central em Pristina bombardeado pela OTAN © AFP 2017/ RUSSELL BOYCE / REUTERS POOL

"No passado, o público repetidamente apontou que a terra estava contaminada nos lugares onde ocorreu o crime de guerra [bombas com o uso de substâncias radioativas] e estamos apoiando plenamente os esforços para que cada caso de contaminação seja investigado. Participaremos na criação de uma comissão relevante", disse o ministro da Proteção Ambiental, Goran Trivan, citado pela emissora da rádio televisão da sérvia.

O organismo de radiodifusão notou que, após os bombardeios, a contaminação radioativa havia sido encontrada nas áreas perto de cidades sérvias de Bujanovac, Presevo e Vranje, no sul do país, ao lado da fronteira com o Kosovo.

Espera-se que a investigação envolva profissionais médicos em diferentes campos, como radiologistas, epidemiologistas e toxicólogos, que examinarão a terra, água e ar, bem como produtos alimentares. Em seguida, o órgão de coordenação relevante conduzirá uma investigação econômica e jurídica. De acordo com o organismo de radiodifusão, os materiais coletados servirão de base para a apresentação de uma ação judicial contra 19 membros da OTAN que participaram da ofensiva.

A Guerra do Kosovo entre o Exército de Libertação do Kosovo (KLA) e as forças da Iugoslávia, constituída pela Sérvia e Montenegro em 1998-1999, terminou após a intervenção internacional apoiada pela ONU após o atentado da OTAN contra as tropas da Iugoslávia.

Os ataques da OTAN continuaram de 24 de março a 10 de junho de 1999. O número exato de vítimas é desconhecido. As autoridades sérvias afirmam que os bombardeios prejudicaram os fígados de quase 2.500 pessoas, incluindo 89 crianças, enquanto 12.500 pessoas ficaram feridas. De acordo com várias estimativas, o dano material foi de US $ 30-100 milhões. A operação militar foi realizada sem a aprovação do Conselho de Segurança da ONU, com base nas afirmações dos países ocidentais de que as forças da Iugoslávia estavam realizando a limpeza étnica no Kosovo.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas