Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Países muçulmanos reconhecem Jerusalém como capital do Estado da Palestina

Os países da Organização para a Cooperação Islâmica (OCI) acordaram nesta quarta-feira reconhecer Jerusalém Oriental como capital do Estado da Palestina e convidaram as outras nações a fazer o mesmo, em resposta à decisão dos EUA de declarar Jerusalém como capital de Israel.
EFE

"Declaramos Jerusalém Oriental como capital do Estado da Palestina e convidamos todos os países a reconhecer o Estado da Palestina com Jerusalém Oriental como sua capital ocupada", indica a minuta da declaração preparada nesta quarta-feira em Istambul por esta organização, formada por 57 países de maioria muçulmana.


A OCI, formada por 57 países de maioria muçulmana, inclui desde sua fundação em 1969 a Palestina como membro pleno, com sua capital em Jerusalém.

O documento, apresentado pelos "reis, chefes de Estado e de Governo dos Estados membros da Organização para a Cooperação Islâmica (OCI)", apresenta em 23 pontos a postura do mundo muçulmano perante a decisão dos EUA.

Nesse texto, a OCI &quo…

Suspensão de voos para Erbil é bloqueio do governo iraquiano, dizem autoridades curdas

O governo regional do Curdistão considerou a decisão das autoridades iraquianas de suspender voos para a região autônoma como uma "punição coletiva" e um bloqueio, de acordo com um comunicado publicado no site do governo no sábado.


Sputnik

Na noite de sexta-feira, todos os voos internacionais de e para os aeroportos de Erbil e Sulaymaniyah foram suspensos pela Autoridade de Aviação Civil do Iraque (ICAA). A decisão de voos seguiu a recusa do governo do Curdistão em transferir o controle dos postos fronteiriços regionais do Curdistão e dos aeroportos para o governo central iraquiano após um referendo sobre a independência do Curdistão iraquiano, realizada no início desta semana.


Erbil International Airport. (File)
CC BY-SA 2.0 / Jeffrey Beall / Erbil International Airport

"O fechamento dos aeroportos da região do Curdistão é um castigo coletivo e um bloqueio contra toda a população do Curdistão. Demonstra as continuadas violações legais e humanitárias contra o povo curdo, sob o pretexto de impor a autoridade federal iraquiana", disse o porta-voz do governo curdo Safeen Dizayee disse, como citado no comunicado.

Dizayee enfatizou que o encerramento do espaço aéreo do Curdistão evitaria o transporte de civis e soldados feridos em batalhas com o grupo terrorista Daesh (autodenominado Estado Islâmico) que atua na região. Muitas famílias curdas, cristãs e sunitas não poderão se reunir com seus parentes, acrescentou.

A votação sobre a independência do Curdistão iraquiano ocorreu na segunda-feira e resultou em 92,7% dos eleitores a favor da independência da região autônoma em relação a Bagdá. O referendo foi fortemente oposto por Bagdá, bem como pelo Irã e pela Turquia.


Postar um comentário