Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia quer ajudar Iraque a combater curdos em Kirkuk

A Turquia informou nesta segunda-feira que estava pronta para ajudar o governo iraquiano a expulsar os combatentes curdos da cidade de Kirkuk, informou AFP.
Sputnik

Ancara teme que a eventual independência do Curdistão iraquiano pode desencadear movimentos semelhantes entre a população curda na Turquia e saudou a operação das forças iraquianas para expulsar as forças do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de Kirkuk.


"Estamos prontos para qualquer forma de cooperação com o governo iraquiano de modo a acabar com a presença do PKK no território do Iraque", disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu.

O Conselho de Segurança Nacional do Iraque afirmou neste domingo que considerará a presença de militares curdos em Kirkuk como um "declaração de guerra".

Na segunda-feira, as forças iraquianas tomaram amplos territórios nos arredores da cidade, bem como uma base militar, um aeroporto e um campo petrolífero.

Em 2014, as tropas peshmerga curdas …

Trump: 'Estamos totalmente preparados' para solução militar contra Pyongyang

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira que o país está "totalmente preparado" para tomar medidas militares contra a Coreia do Norte, caso a situação entre Washington e Pyongyang se deteriore ainda mais.


Sputnik

A afirmação foi feita durante uma coletiva de imprensa conjunta de Trump e do primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy, na Casa Branca, em Washington.


Presidente dos EUA Donald Trump
Presidente dos EUA Donald Trump © REUTERS/ Kevin Lamarque

"Estamos totalmente preparados para a segunda opção, não uma opção preferida", disse Trump. "Mas se tomarmos essa opção, será devastador, posso dizer-lhe isso, devastador para a Coreia do Norte. Isto é chamado de opção militar. Se tivermos que fazer isso, nós faremos".

Detalhes a respeito de tais planos militares não foram revelados pelo presidente estadunidense.

A fala de Trump vem horas após os EUA imporem sanções contra oito bancos norte-coreanos e 26 executivos, como parte da campanha de pressão econômica contra o programa nuclear norte-coreano.

"Isso avança ainda mais a nossa estratégia para isolar completamente a Coreia do Norte para alcançar nossos objetivos mais amplos de uma Península Coreana pacífica e desnuclearizada", disse o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, em um comunicado.

O anúncio de terça-feira agravou as sanções econômicas que as Nações Unidas impuseram unanimemente à Coreia do Norte, depois que realizou o mais recente teste de armas nucleares no início deste mês.

As novas sanções visam os norte-coreanos que trabalham como representantes dos bancos da Coreia do Norte na China, na Rússia, na Líbia e nos Emirados Árabes Unidos.

Todos os bens e interesses das empresas designadas e indivíduos nos EUA são bloqueados pelas sanções, efetivamente congelando-os de uma grande parte do sistema financeiro global.

Os EUA indicaram o Banco de Comércio Exterior da Coreia do Norte e o Banco Central da República Popular Democrática da Coreia como agências do governo norte-coreano.

O Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros do Tesouro, que ultrapassou os programas de sanções dos EUA, disse que o Banco de Comércio Exterior realizou transações em nome do programa de desenvolvimento de armas da Coreia do Norte.


Postar um comentário