Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha e Aeronáutica do Brasil auxiliam buscas a submarino argentino desaparecido, diz ministro

Segundo Raul Jungmann, três navios e um avião brasileiros já foram disponibilizados. Última vez que o submarino militar com 44 pessoas a bordo manteve contato com a base foi na quarta-feira (15).
Por G1, Brasília

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, publicou em seu perfil no Twitter neste sábado (18) que três navios da Marinha brasileira "já estão auxiliando" nas buscas a um submarino argentino que desapareceu com 44 tripulantes a bordo.

Ainda segundo o ministro, a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou um avião para também ajudar na procura pelo submarino e um segundo avião "será deslocado para apoiar as buscas do submarino argentino desaparecido" a partir deste domingo (19).

O submarino militar ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15), quando estava no sul do Mar Argentino, a 432 quilômetros da costa patagônica do país.

De acordo com a FAB, o primeiro avião disponibilizado pelo Brasil decolou, com 18 tripulantes, às 17…

Trump: Sanções norte-coreanas não são 'nada em comparação com que vai ainda acontecer'

Presidente dos EUA Donald Trump expressou dúvidas de que as novas sanções de Pyongyang vão ter "algum impacto" mas acrescentou que foi "bom" que a ONU tivesse aprovado a resolução dos EUA.


Sputnik

"Achamos que é mais um passo pequeno, não uma coisa grande", afirmou Trump aos jornalistas no início do seu encontro com o primeiro-ministro da Malásia Najib Razak.


Resultado de imagem para donald trump
Presidente dos EUA Donald Trump

"Não sei se vai ter qualquer impacto[…]mas estas sanções são nada em comparação com o que vai ainda acontecer", frisou Trump, citado pela Reuters.

Os EUA ainda não excluíram a possibilidade d uma operação militar para acabar com o desenvolvimento nuclear da Coreia do Norte, confirmou na terça (12) a Casa Branca.

"O presidente está comprometido com qualquer passo e qualquer opção disponível para ter a península da Coreia desnuclearizada", declarou a porta-voz da Casa Branca Sarah Sanders, citada pela RT.

Após uma série de compromissos de última hora, a Rússia e a China apoiaram as sanções contra a Coreia do Norte. O nono pacote de medidas restritivas da ONU contra o regime comunista ficou bastante aquém das consequências que a administração de Trump propôs após o sexto teste nuclear norte-coreano realizado em 3 de setembro.


Postar um comentário