Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Moscou revela fotos de material bélico dos EUA nas posições do Daesh

O Ministério da Defesa da Rússia publicou na sua conta no Facebook fotos aéreas de posições do Daesh (organização proibida na Rússia), perto da cidade de Deir ez-Zor, nas quais se vê material bélico dos EUA.
Sputnik

"Graças às fotografias aéreas captadas entre 8 e 12 de setembro de 2017, perto das posições do Daesh foi detectado um grande número de veículos blindados norte-americanos Hummer que estão em serviço das forças especiais dos EUA", informou o ministério.


Segundo o ministério, nas fotos é claramente visível o posicionamento das forças especiais dos EUA em pontos de apoio que anteriormente foram equipados pelos terroristas. Nas fotos não há nenhuns vestígios de ataques, bem como de confrontos com os terroristas ou crateras provocadas por ataques aéreos realizados pela coalizão internacional liderada pelos EUA.

"Embora os pontos de apoio dos destacamentos das Forças Armadas dos EUA estejam nas zonas das atuais posições do Daesh, não existem quaisquer vestígios de pre…

'Unidade de decapitação': Coreia do Sul cria comando para assassinar Kim Jong-un

O ministro da Defesa da Coreia do Sul, Song Young-moo, informou ao Parlamento do país que uma equipe de elite vai entrar em funcionamento com um único objetivo: assassinar o líder norte-coreano Kim Jong-un, informou o jornal The New York Times.


Sputnik

Chamada de Unidade de decapitação, a equipe contará com um efetivo de 1.500 a 3.000 soldados e poderia realizar incursões noturnas na Coreia do Norte, por meio de helicópteros e aviões de transporte, de acordo com o que teria dito Song.


O líder norte-coreano, Kim Jong-un (foto de arquivo)
Kim Jong-un © Sputnik/ Ilia Pitalev

Ao jornal estadunidense, o general sul-coreano da reserva Shin Won-sik avaliou que "a melhor dissuasão" que se pode ter, além das suas "próprias armas nucleares", é "fazer com que Kim Jong-un tema pela sua vida".

"No sistema medieval da Coreia do Norte, a vida de Kim Jong-un é tão valiosa como a de centenas de milhares de pessoas comuns, cujas vidas estariam ameaçadas por um ataque nuclear", explicou Shin.

Não é a primeira vez que a Coreia do Sul cogita um assassinato de uma liderança da Coreia do Norte para pôr fim à crise na península. Na década de 1960, pensou-se na criação de um corpo militar para se infiltrar e eliminar o então líder Kim Il-sung, avô de Kim Jong-un.

A ideia de Seul era infiltrar um grupo de ex-detentos em solo norte-coreano, mas o plano fracassou quando eles se rebelaram, mataram os agentes que os treinavam e depois se imolaram.

Recentemente, um ex-agente espião sul-coreano declarou que a única forma de resolver a crise na Península da Coreia seria eliminando Kim Jong-un. A volta de tais planos se deve ao pouco avanço efetivo para uma solução por meio de sanções econômicas ou por outros canais diplomáticos.

Neste ano, pelo menos um plano para a morte do líder norte-coreano foi denunciado por Pyongyang.


Postar um comentário