Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Argentina perto de adquirir 24 jatos KAI FA-50 da Coreia do Sul

Segundo o portal web Naver, um dos mais importantes de Coreia do Sul, a empresa Aeroespacial da Coreia (KAI) e o governo sul-coreano encontram-se nas etapas finais de definição para um contrato de financiamento para a venda de 12 aviões de combate leve FA-50 à Argentina.


Poder Aéreo

De acordo com o informado por meio do site coreano, o contrato a ser oficializado em dezembro deste ano é o primeiro passo para a Força Aérea Argentina iniciar a substituição dos jatos A-4AR Skyhawk. O FA-50, que já conta com o selo de “provado em combate”, presta serviço na Coreia do Sul, Filipinas, Iraque, Indonésia e Tailândia.

KAI FA-50

Segundo declarado por Kim Hak-yong, integrante da Comissão Nacional de Defesa à Assembleia Nacional, o apoio financeiro por parte do estado coreano está assegurado, permitindo que as negociações com o governo argentino se iniciem em novembro próximo.

A chave do contrato, que alcançaria 600 bilhões de won (aproximadamente 524 milhões de dólares), são as facilidades financeiras que oferecem a empresa e o governo coreano para tornar a compra mais atrativa aos funcionários argentinos.

Considerado o sistema preferido pela FAA (conforme as palavras do Comodoro Pedro Notti durante o 68º aniversário da VI Brigada Aérea), as ofertas e negociações pelo KAI FA-50 já acontecem há um bom tempo.

Cabe recordar que em novembro de 2016, Ercole Felippa, Presidente da FAEIA, mencionou no CIIADE 2016 que a oferta da KAI era de 24 aviões FA-50, 4 fabricados na Coreia do Sul e os restantes montados nas instalações da ex-FMA. Uma proposta mais que interessante porque não só tornaria a Argentina a lançadora do modelo na região, como também possibilitaria futuros acordos comerciais.

Atualmente a KAI mantém negociações abertas na América Latina com o objetivo de fechar a venda de treinadores KT-1 ao Equador e Paraguai, enquanto que no Peru (país que já opera o treinador KT-1) a empresa se esforça para a venda de 24 jatos FA-50, transação que chegaria a 1 bilhão de dólares.

Postar um comentário