Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Aumento da presença militar: então, quem está se preparando para atacar?

Os EUA e seus aliados europeus da OTAN usam a alegada invasão russa para justificar e, principalmente, permitir a si próprios atingir seu alvo-chave: posicionar suas forças perto das fronteiras russas.


Sputnik

No âmbito da situação atual quanto às relações russo-americanas, o representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia, major-general Igor Konashenkov, explica por que a mídia ocidental (dos EUA e da Europa) manifestou histeria tremenda quanto aos exercícios táticos russo-bielorrussos Zapad 2017.


Veículo blindado da OTAN no Báltico
Blindado da OTAN no Báltico © AFP 2017/ Anders Wiklund

Anteriormente, o Ministério da Defesa russo comunicou que militares norte-americanos instalaram toda uma divisão na fronteira da Rússia com os países bálticos. Segundo o ministério, na Polônia desembarcou a 2ª brigada armada dos EUA com veículos blindados e, acima de tudo, nos países bálticos foi deixado todo equipamento militar da 3ª brigada norte-americana.

Segundo o major-general russo, o Ocidente acusou a Rússia de realizar manobras para invadir a Polônia, mas as acusações teriam sido usadas para abafar o desembarque da 2ª brigada armada com veículos blindados dos EUA.

"Toda a histeria dos povos bálticos e dos poloneses sobre a ‘ameaça russa' em meio aos exercícios russo-bielorrussos Zapad-2017 não passa de cobertura informacional fraudulenta da operação do Pentágono. Então, quem está se preparando para atacar?", declarou.

Ao mesmo tempo, o aumento da presença militar dos EUA perto das fronteiras russas impulsiona a concentração das Forças Armadas da Rússia para fortalecimento de suas capacidades de defesa na mesma região, opina o vice-presidente do Comitê de Defesa da Duma de Estado, Yuri Shvytkin.

"Sem dúvidas, a escalada de tensões impulsiona o aumento da presença de nossas Forças Armadas nessa direção para cumprimento de questões de defesa do nosso país", sublinhou o deputado.

Entretanto, ele acrescentou que tal comportamento dos EUA é um beco sem saída para os países bálticos.

Em sua opinião, é preciso "realizar tais manobras nas proximidades das fronteiras com o Ocidente [Europa] para que o Ocidente entenda e se dê conta de que nós, como dizem, não estamos cochilando e não engolimos tudo o que eles nos dão, mas sim tomamos medidas de resposta".


Postar um comentário