Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: presidente ucraniano mata sua indústria ao introduzir novas sanções contra Rússia

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, assinou um decreto sobre as sanções contra a Rússia adotadas pelo Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia. O especialista Eduard Popov falou com a Sputnik e indicou qual o principal objetivo perseguido pelo governo ucraniano com tal iniciativa.
Sputnik

Em 2 de maio, o Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia ampliou as medidas restritivas em relação a diversas pessoas físicas e jurídicas russas, bem como prolongou a vigência das sanções introduzidas anteriormente.

Segundo informou a assessoria de imprensa da entidade, as sanções são aplicadas a pessoas "relacionadas com a agressão no ciberespaço e no campo informacional" contra a Ucrânia, "ações criminosas" contra os cidadãos ucranianos detidos na Rússia, bem como aos deputados da Duma de Estado e do Conselho da Federação da Rússia.

O diretor do Centro de Cooperação Pública e Informativa "Europa", Eduardo Popov, disse ao serviço russo da Rádio Sp…

Coalizão internacional liderada pelos EUA permite que Daesh fuja de Raqqa

Os militantes do Daesh, organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países, vão deixar Raqqa cercada após chegar a um acordo com as Forças Democráticas da Síria, que se manifestam leais à coalizão internacional liderada pelos EUA, comunica a mídia internacional.


Sputnik

Segundo disse à Reuters Omar Allush, membro do conselho municipal de Raqqa, foi permitido que os terroristas deixem a cidade na noite de 15 de outubro. Ao mesmo tempo, eles planejam levar consigo cerca de 400 civis como escudo humano.


Combatentes das Forças Democráticas da Síria se preparam para disparar contra posições do Daesh na província de Raqqa, na Síria
Combatentes das FDS em Raqqa © REUTERS/ Rodi Said

Ele adiantou que na cidade permanecem ainda combatentes estrangeiros do Daesh, cujo número preciso se desconhece.

Os terroristas conquistaram Raqqa em 2013 e, desde então, ela tem sido considerada como capital do autoproclamado califado do Daesh. Em junho, a coalizão internacional liderada pelos EUA começou o assalto da cidade.


Postar um comentário