Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia quer ajudar Iraque a combater curdos em Kirkuk

A Turquia informou nesta segunda-feira que estava pronta para ajudar o governo iraquiano a expulsar os combatentes curdos da cidade de Kirkuk, informou AFP.
Sputnik

Ancara teme que a eventual independência do Curdistão iraquiano pode desencadear movimentos semelhantes entre a população curda na Turquia e saudou a operação das forças iraquianas para expulsar as forças do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de Kirkuk.


"Estamos prontos para qualquer forma de cooperação com o governo iraquiano de modo a acabar com a presença do PKK no território do Iraque", disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu.

O Conselho de Segurança Nacional do Iraque afirmou neste domingo que considerará a presença de militares curdos em Kirkuk como um "declaração de guerra".

Na segunda-feira, as forças iraquianas tomaram amplos territórios nos arredores da cidade, bem como uma base militar, um aeroporto e um campo petrolífero.

Em 2014, as tropas peshmerga curdas …

Como vão EUA responder às ameaças norte-coreanas de abater seus aviões?

Os bombardeiros estadunidenses continuarão voando perto do espaço aéreo da Coreia do Norte, declarou o comandante da Força Aérea do Pacífico dos EUA, Terrence J. O'Shaughnessy.


Sputnik

Os Estados Unidos não reduzirão as atividades da sua Força Aérea no Pacífico tendo em conta as ameaças de Pyongyang de abater bombardeiros estadunidenses, incluindo nas proximidades do espaço aéreo norte-coreano, a agência AFP cita as palavras do comandante, pronunciadas na sexta-feira (29) durante a reunião de chefes da Forças Aéreas de 17 países do Pacífico, realizada no arquipélago estadunidense de Havaí.


Bombardeiro B-1B da Força Aérea dos EUA
B-1B Lancer | CC0 / United States Air Force / Staff Sgt. Bennie J. Davis III

"Estamos certos de que devemos ter a possibilidade de voar e de navegar onde as normas internacionais nos permitam, e continuamos a fazê-lo", destacou.

Além disso, o alto funcionário militar sublinhou que a liberdade de manobras no âmbito do direito internacional constitui uma parte importante da ordem internacional e que todas as nações têm que respeitar as normas que têm garantido, durante décadas, a prosperidade da região do Pacífico.

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul realizaram numerosos exercícios militares conjuntos, incluindo a simulação de bombardeios na península coreana, o que, por sua vez, contribuiu para aumentar as tenções nas relações com a Coreia do Norte.


Postar um comentário