Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia acionará judicialmente os EUA, caso entregas dos F-35 sejam bloqueadas

Segundo o porta-voz do presidente turco, Ibrahim Kalin, a Turquia recorrerá a medidas jurídicas caso as entregas dos F-35 sejam bloqueadas pelos EUA.
Sputnik

Ibrahim Kalin citou para a mídia turca que "não é nada fácil rescindir este contrato, somos parte de um contrato multilateral, cumprimos com todas as exigências e pagamos, caso os EUA não cumpram, recorreremos à lei".

O Congresso americano decidiu recentemente suspender as entregas dos caças americanos de quinta geração F-35 à Turquia devido aos planos de Ancara de adquirir o sistema de defesa antiaérea russo S-400, além de ameaçá-la com sanções em diversas ocasiões, como citado em artigo da Sputnik Mundo.

O avançado sistema antiaéreo S-400 Triumph (SA-21 Growler, na classificação da OTAN) é capaz de abater alvos aéreos com tecnologia furtiva, mísseis de cruzeiro e mísseis balísticos táticos e táticos-operacionais, tem um alcance de até 400 km e pertence à geração 4+, sendo duas vezes mais eficaz que seus antecessores.

Os se…

Como vão EUA responder às ameaças norte-coreanas de abater seus aviões?

Os bombardeiros estadunidenses continuarão voando perto do espaço aéreo da Coreia do Norte, declarou o comandante da Força Aérea do Pacífico dos EUA, Terrence J. O'Shaughnessy.


Sputnik

Os Estados Unidos não reduzirão as atividades da sua Força Aérea no Pacífico tendo em conta as ameaças de Pyongyang de abater bombardeiros estadunidenses, incluindo nas proximidades do espaço aéreo norte-coreano, a agência AFP cita as palavras do comandante, pronunciadas na sexta-feira (29) durante a reunião de chefes da Forças Aéreas de 17 países do Pacífico, realizada no arquipélago estadunidense de Havaí.


Bombardeiro B-1B da Força Aérea dos EUA
B-1B Lancer | CC0 / United States Air Force / Staff Sgt. Bennie J. Davis III

"Estamos certos de que devemos ter a possibilidade de voar e de navegar onde as normas internacionais nos permitam, e continuamos a fazê-lo", destacou.

Além disso, o alto funcionário militar sublinhou que a liberdade de manobras no âmbito do direito internacional constitui uma parte importante da ordem internacional e que todas as nações têm que respeitar as normas que têm garantido, durante décadas, a prosperidade da região do Pacífico.

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul realizaram numerosos exercícios militares conjuntos, incluindo a simulação de bombardeios na península coreana, o que, por sua vez, contribuiu para aumentar as tenções nas relações com a Coreia do Norte.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas