Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia quer ajudar Iraque a combater curdos em Kirkuk

A Turquia informou nesta segunda-feira que estava pronta para ajudar o governo iraquiano a expulsar os combatentes curdos da cidade de Kirkuk, informou AFP.
Sputnik

Ancara teme que a eventual independência do Curdistão iraquiano pode desencadear movimentos semelhantes entre a população curda na Turquia e saudou a operação das forças iraquianas para expulsar as forças do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de Kirkuk.


"Estamos prontos para qualquer forma de cooperação com o governo iraquiano de modo a acabar com a presença do PKK no território do Iraque", disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu.

O Conselho de Segurança Nacional do Iraque afirmou neste domingo que considerará a presença de militares curdos em Kirkuk como um "declaração de guerra".

Na segunda-feira, as forças iraquianas tomaram amplos territórios nos arredores da cidade, bem como uma base militar, um aeroporto e um campo petrolífero.

Em 2014, as tropas peshmerga curdas …

Coreia do Norte reconhece Crimeia como parte da Rússia

A Coreia do Norte publicou um mapa nesta quinta-feira (12) em que coloca a Crimeia como parte da Rússia, afirmou a embaixada da Rússia na Coreia do Norte em sua página no Facebook.


Sputnik

De acordo com a publicação, o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte expressou sua posição sobre a questão na Organização das Nações Unidas (ONU) e considera a Crimeia uma "parte integrante da Federação da Rússia". Pyongyang também afirma reconhecer as Ilhas Curilas como parte do território russo.


Vista da baía de Balaklava na cidade de Sevastopol, Crimeia
Baía de Balaklava, Sevastopol, Crimeia © Sputnik/ Vladimir Sergeev

A embaixada russa na Coreia do Norte publicou o seguinte texto:

"A editora Enciclopédia Científica (República Popular Democrática da Coreia) publicou um novo atlas político do mundo. Nós reparamos que a península da Crimeia (páginas 240-242) já foi pintada em cores russas. Segundo nos explicou o Ministério das Relações Exteriores da República Popular Democrática da Coreia, a República respeita os resultados do referendo realizado na Crimeia sobre a adesão da península à Federação da Rússia, considera que os seus resultados são legítimos e correspondem às normas da lei internacional. A República Popular Democrática da Coreia manifestou oficialmente a sua posição sobre a questão durante a votação na ONU, baseando-se no fato de que a Crimeia é parte integrante da Rússia. Pyongyang tem postura semelhante em relação à pertinência das Ilhas Curilas (página 233)."

A Crimeia voltou a fazer parte da Rússia em março de 2014 após um golpe na capital ucraniana levar ao poder um governo nacionalista. A mudança ocorreu após um referendo indicar que 97% da população local apoiava a decisão. A Ucrânia, bem como a União Européia, os Estados Unidos e seus aliados não reconheceram o movimento e consideram a península como um território ocupado.

Já as autoridades russas afirmam que todo o processo seguiu as diretrizes do direito internacional.


Postar um comentário