Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

Crise na relação: EUA mostram preocupação com a compra saudita do sistema russo S-400

Os Estados Unidos temem que Riad e Moscou tenham chegado a um acordo para a compra do sistema antiaéreo russo S-400, disse o serviço de imprensa do Pentágono à Sputnik nesta sexta-feira.


Sputnik

"Os EUA e a Arábia Saudita têm relações fortes e importantes no comércio de produção militar e de defesa. Temos preocupações sobre a compra dos sistemas antiaéreos S-400", informou a entidade militar estadunidense.


Sistema de defesa antiárea russo S-400 Triumf, região de Moscou, Rússia
Sistema de mísseis S-400 Triumph © Sputnik/ Mikhail Voskresensky

Veículos da imprensa árabe informaram que, durante as negociações realizadas na quinta-feira entre o rei saudita, Salman bin Abdulaziz al Saud, e o presidente russo, Vladimir Putin, ficou acordado que Riad adquirirá os sistemas russos antiaéreos S-400 Triumph.

O Kremlin ainda não confirmou essa informação, mas observou que a cooperação técnico-militar estava na agenda das negociações russo-sauditas.

O Pentágono explicou que, usando os sistemas russos, a Arábia Saudita corre o risco de ter armas incompatíveis, o que, por sua vez, pode levar a uma perda de eficácia no combate.

"Sublinhamos a importância de garantir a compatibilidade operacional entre sistemas norte-americanos e regionais na aquisição de grandes sistemas de defesa", afirmou.

Em 20 de maio, Washington anunciou a assinatura com Riad de um conjunto de documentos, que estipula a venda de armas e serviços militares dos EUA para a Arábia Saudita no valor de US$ 110 bilhões.

Os acordos alcançados também assumem que, no decorrer da próxima década, Riad poderia comprar armas de Washington por US$ 350 bilhões.

O Kremlin enfatizou sexta-feira que a cooperação entre a Rússia e a Arábia Saudita em questões técnico-militares não é dirigida contra países terceiros e enfatizou que todas as preocupações expressadas a respeito são infundadas.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas