Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Curdistão: presença do PKK em Kirkuk é 'declaração de guerra', diz Iraque

O governo iraquiano acusou as autoridades curdas neste domingo de levarem combatentes dos separatistas do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) para a cidade de Kirkuk, que está sob disputa, e disse que considerava o movimento uma "declaração de guerra".


Sputnik

Vahal Ali, um assistente de mídia do presidente do Governo Regional do Curdistão (KRG), Massoud Barzani, negou a acusação. "Isso é falso, não há PKK em Kirkuk, apenas Peshmerga", disse ele à Reuters, referindo-se às forças militares KRG.


Combatentes curdas na província iraquiana de Kirkuk.
Combatentes curdas em Kirkuk © Sputnik/ Sara Nureddin

Em um comunicado publicado após uma reunião presidida pelo primeiro-ministro Haider al-Abadi em Bagdá, e atendido por altos comandantes militares e de segurança, o governo do Iraque disse que procuraria impor sua autoridade sobre Kirkuk e outras áreas em disputa.

A liderança curda do Iraque rejeitou no domingo uma demanda do governo iraquiano para cancelar o resultado de um referendo de independência como condição prévia para conversas para resolver a disputa.

Barzani e outros líderes curdos, que se reuniram para discutir a crise na cidade de Dokan, renovaram sua oferta de "resolver pacificamente" a crise com Bagdá.

Eles rejeitaram o que eles descreveram como "ameaças militares" das forças iraquianas contra combatentes de Peshmerga curdos e se comprometeram a defender o território curdo em caso de ataque.

O KRG e o governo central liderado pelos xiitas em Bagdá estão em desacordo desde o referendo de 25 de setembro e seu forte apelo à independência curda.

As tensões entre as duas partes se espalharam pela cidade petrolífera multi-étnica de Kirkuk, que as forças de Peshmerga tomaram conta em 2014 quando as forças de segurança iraquianas entraram em colapso diante de uma investida estatal islâmica.

A implantação de Peshmerga impediu os campos petrolíferos de Kirkuk de cair em mãos jihadistas.


Postar um comentário